Inspiração

11 de setembro: casal se conheceu no Canadá após fechamento do espaço aéreo

Redação Hypeness - 23/09/2021

Uma história de amor que nasceu em meio ao caos e à tragédia. Nick Marson e Diane Kirschke eram dois passageiros no voo número 5, da Continental Airlines, que voava de Londres, na Inglaterra, para Houston, nos Estados Unidos, no dia 11 de setembro de 2001

– 11 de setembro: a história da polêmica foto do homem se jogando de uma das torres gêmeas

Diane e Nick naquela viagem inesperada a Newdoundland, em 2001.

Após o ataque às Torres Gêmeas e ao Pentágono, o espaço aéreo americano foi fechado e todos os voos que sobrevoavam o país naquele momento tiveram que ser desviados. 

Assim, Nick e Diane acabaram pousando em Gandar, em Newfoundland, no Canadá. Com pouco mais de 10 mil habitantes na época, a cidade recebeu quase 7 mil passageiros de 38 voos que desembarcaram ali na chamada Operação Yellow Ribbon, iniciada pelo governo canadense após o fechamento do espaço aéreo dos EUA.

– Indiano que pedalou até a Suécia por amor tem história contada em música

Durante a operação, entre 225 e 240 aviões pousaram em 17 aeroportos e bases militares espalhadas pelo território canadense após serem deslocados de suas rotas previstas.  

O voo 5 da Continental Airlines já havia decolado há cerca de quatro horas quando o comandante informou a cabine que o avião seria desviado de rota. “O espaço aéreos americano está com problemas“, avisou. 

Nick se apressou para olhar para fora da janela porque imaginou que a aeronave pudesse estar com problemas sérios e o piloto estava apenas mascarando. “Talvez alguma turbina estivesse pegando fogo“, lembra ele, que, na época, trabalhava na indústria do petróleo. 

Enquanto isso, na outra ponta do avião, estava Diane, que voltava de uma viagem à Inglaterra para visitar o filho. Quando ouviu que o avião pousaria na província de Newfoundland, pensou que nuna havia viajado ao Canadá. Será que uma aventura estaria por vir?

– Glória Menezes: triste com a morte de Tarcísio Meira, mas ‘fortalecida pelo amor da família’, diz nora

E estava. Já era dia 12 de setembro quando os passageiros puderam finalmente desembarcar das aeronaves. Um voo por vez e sem bagagens, as pessoas foram descendo dos aviões em que viajavam e sendo alocadas em abrigos improvisados em escolas, universidades, igrejas e até mesmo na casa de moradores locais. 

Aos poucos, todos foram se informando sobre o que havia acontecido, afinal, era uma época sem celulares para todos, mensagens instantâneas ou internet wi-fi. 

Diane lembra que todos os voluntários da cidade receberam os visitantes repentinos de braços abertos. “Eles foram muito amorosos ao receberem a gente. Não importava de onde você vinha, quem você era, quanto de dinheiro você tinha ou qual era a sua profissão. Nós precisávamos de ajuda”, lembra. 

Diane e Nick finalmente se encontraram ao serem levados para a Sociedade dos Pescadores Unidos, um espaço que costumava receber eventos na cidade. Ela estava na fila para receber mantimentos e cobertores, quando pegou o travesseiro que lhe deram e falou — em voz alta, mas que apenas ela deveria ouvir — cheirava a naftalia. Atrás dela, ouviu a voz de Nick, um desconhecido até ali, dizer: “É cânfora”.

Perguntei a Diane se eu poderia ficar com a cama ao lado dela e ela disse: ‘Claro, por que não’”, lembra ele.

O casal 20 anos depois: juntos e apaixonados.

No dia seguinte, os dois passaram a manhã juntos ao saírem do abrigo para tomar um ar e ir a um mercado. À noite, em uma confraternização organizada pelos voluntários, os dois foram confundidos como um casal. O anfitrião, que havia cometido a gafe, perguntou então se eles não gostariam de se casar. Diane riu e respondeu: “por que não?”

Os dois então passaram a ser uma dupla inseparável nos cinco dias que ficaram presos em Gander. Quando os aviões receberam autorização para decolar novamente, chegou a hora da despedida. Diane ficou muito triste por deixar aquela aventura para trás e achava que nunca mais veria Nick. 

No ônibus, a caminho do aeroporto, Nick a abraçou para consolá-la enquanto ela chorava. Ele a deu um beijo na testa e ela aproveitou a deixa para dar um beijo daqueles de cinema. “Achei que era a minha grande chance”, brinca ela. 

Foto tirada por Nick no dia 11 de setembro, logo após o pouso em Gandar.

Os dois passaram os dias que Nick tinha em Houston juntos. Depois, ele teve que voltar para a Inglaterra e ela ficou nos Estados Unidos. Em outubro, Nick deu um jeito de viajar a trabalho de novo para Houston e os dois se reencontraram. 

No mês seguinte, em novembro, Nick telefonou para Diane e disse que estava ajoelhado para pedi-la em casamento. Ela aceitou.

Sentimos que isso estava destinado a ser”, diz ela. “Quem poderia ir contra o destino?” 

Quase um ano depois de se conhecerem, em setembro de 2002, eles se casaram em Houston e a lua de mel, é claro, foi em Newfoundland.

A história de Nick e Diane virou musical da Broadway: “Come From Away” estreou em 2013 e concorreu ao Tony, Grammy e ao Olivier em 2017. 

 

Publicidade

Fotos: Acervo pessoal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.