Inspiração

A história da ex-doméstica brasileira que conquistou cargo no governo dos EUA

Vitor Paiva - 27/09/2021 | Atualizada em - 30/09/2021

Antes de conquistar seu PhD em sociologia, se tornar professora da Universidade de Massachusetts, em Boston e ser convidada para ocupar um cargo sênior no governo Biden, a brasileira Natalicia Tracy enfrentou uma situação análoga ao trabalho escravo após migrar para os EUA. Sua chegada ao país, em 1989, se deu na função de empregada doméstica de uma família brasileira na cidade de Boston, quando tinha apenas 19 anos: a jornada de trabalho, porém, ia das 6 da manhã até às 11 horas da noite, cuidando de um bebê e desempenhando todas as tarefas domésticas, em uma situação considerada de trabalho escravo pelas leis trabalhistas dos EUA.

a brasileira Natalicia Tracy

A brasileira Natalicia Tracy, conselheira sênior na Agência de Saúde e Segurança Ocupacional do governo Biden © Facebook/reprodução

-Reforma trabalhista cria emprego sem férias e 13º e complica fiscalização do trabalho escravo

Segundo relato da brasileira em reportagem da BBC News Brasil, Tracy dormia em uma varanda fechada com chão de cimento grosso, e não podia usar o telefone nem mesmo receber cartas, sem acesso a cuidados médicos devidos e recebendo um valor por seu trabalho muito abaixo do salário mínimo local. Quando a família resolveu voltar ao Brasil, ela permaneceu nos EUA, se casou com um cidadão estadunidense, e investiu em seus estudos – até chegar ao doutorado em Sociologia, em estudo sobre imigração, raça, classe e família.

Natalicia em um painel no Brazilian Workers Center, em 2016

Natalicia em painel no Brazilian Workers Center, em 2016 © Wikimedia Commons

-Mulher joga fora talheres usados por empregada doméstica e a demite por usar o banheiro

Além de lecionar, seu trabalho aos poucos a levou a se tornar uma liderança trabalhista na região, articulando a aprovação de leis que combatem o trabalho abusivo e garantem melhores condições profissionais – foi nesse caminho que começou a realizar interlocuções com políticos democratas, chegando a se reunir com nomes como a senadora Elizabeth Warren e o ex-presidente Barack Obama. Tracy afirma que utiliza sua consciência enquanto mulher, imigrante e negra como uma arma de superação e afirmação, especialmente diante de nomes poderosos como os citados.

Natalicia Tracy

Tracy traz a própria experiência que enfrentou para tratar de questões trabalhistas, entre outras, na atual administração no país © Facebook/reprodução

-Idosa de 83 anos resgatada de fazenda em situação análoga à escravidão estava há 6 décadas sem salário

O convite para ocupar um cargo de conselheira sênior na Agência de Saúde e Segurança Ocupacional (Osha, em inglês) dentro do Departamento de Trabalho do governo dos EUA veio, segundo Tracy, de um representante da Casa Branca, a partir de sua carreira e de sua especialização em temas como política migratória, política social, legislações trabalhistas e mais – sua função dentro da agência será voltada a tais universos. A reportagem da BBC News com Natalicia Tracy pode ser lida aqui.

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.