Fotografia

As salinas rosas e naturais que parecem manipulação digital no sul da França

Vitor Paiva - 03/09/2021 | Atualizada em - 10/09/2021

Um primeiro olhar desatento sobre as imagens registradas em campos de sal pelo fotógrafo italiano Paolo Pettigiani pode concluir se tratar de fotografias tiradas com lentes infravermelhas: a intensidade da cor de rosa que salta da superfície fotografada não parece ser possível de forma natural. Como Pettigiani é conhecido por seu trabalho com tais lentes, essa seria uma conclusão cabível – mas, no entanto, não seria verdadeira: as fotos da série Dunaliella salina foram tiradas sem lentes especiais, e mostram um cenário natural e verdadeiro.

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

A nova série de Pettigiani foi feita sem o uso de lentes especiais como a coloração pode sugerir

-Os incríveis e coloridos domos de sal das montanhas do Irã

As imagens foram capturadas nos campos de sal marinho de Camarga, região ao sul da França, e a coloração em um cor-de-rosa explosivo e quase incrível se dá não por lentes, filtros ou manipulações digitais, mas pelo efeito de uma microalga presente em tais salinas – e que justamente batiza a série. A Dunaliella salina é um microrganismo capaz de se desenvolver em ambiente com alta concentração de sal, e que produz carotenoides em grande quantidade para se tornar um dos poucos seres capazes de sobreviver em campos de sal.

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

A coloração rosa se dá pelo efeito da microalga que batiza a série

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

O branco do próprio sal ajuda a compor a estética marcante da série

-Os campos de sal na Austrália que parecem pinturas vistos de cima

São justamente os carotenoides produzidos que oferecem as colorações tão singulares nas concentrações de sal onde essa microalga se reproduz – entre o alaranjado e o rosa mais intenso, como no caso dos locais fotografados por Pettigiani no sul da França. O contraste extremo entre a água rosa, as algas verdes e o céu azul tornam o cenário ainda mais impressionante, e nos lembram o quanto nenhum artifício humano é capaz de efetivamente superar esteticamente aquilo de que a natureza é capaz – em suas paisagens, em seus fenômenos, em sua química.

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

Um pequeno bloco de sal com o azul do céu ao fundo

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

O verde das algas do mar também saltam no contraste tonal da série

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

Os campos de sal fotografados ficam no sul da França

-O chocolate rosa natural e sem química que virou mania nas redes

“A Dunaliella salina é um perfeito exemplo de como ambientes naturais podem inspirar minha criatividade: a geometria e o minimalismo das linhas criadas pela água e a areia, pareados com os elementos naturais das algas marinhas”, comentou o fotógrafo, em matéria para o site My Modern Met. “A beleza pode ser encontrada em ações e locais cotidianos. Se eu não explicasse os motivos científicos para a salina ser rosa, qual seria seu primeiro pensamento? Se tratar de uma manipulação digital da imagem, ou a pura mãe natureza?”.

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

O trabalho de Pettigiani anteriormente foi celebrado pelo uso de lentes infravermelhas

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

Sal e mar se confundem nas imagens finais

Dunaliella salina, de Paolo Pettigiani

Uma estrada cruza os campos de sal e o mar da região

Publicidade

© fotos: Paolo Pettigiani 


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.