Sustentabilidade

NY sente emergência climática na pele e emite 1º alerta para enchente da história em noite digna de São Paulo

Yuri Ferreira - 02/09/2021

A cidade de Nova York está em estado de emergência por conta da tempestade tropical Ida. O coração do capitalismo mundial e outras cidades do nordeste dos EUA estão sofrendo com a gravidade das chuvas: são dezenas de mortos e enchentes de grande proporção nunca antes vistas na região.

– Emergência climática deve aumentar intensidade de furacões no Atlântico

Toda a costa leste dos EUA sofre com os impactos do furacão Ida; mudança climática está colocando suas garras no país mais rico do planeta

Ontem, a cidade registrou a maior chuva da história desde 1869, quando os primeiros registros de chuva foram feitos na região. Em uma hora, choveu mais de 9 centímetros, dado que bateu o recorde anterior, de apenas 11 dias, quando choveu 4 centímetros durante a passagem do furacão Henri por Nova York.

– Tsunami no Alasca é efeito de mudança climática e pode ameaçar o Ártico e o planeta

Veja vídeos:

 

Ao todo, são somadas 25 mortes somando os estados de NY, Nova Jérsei e Pensilvânia. Além disso, há mais vítimas registradas no Alabama, Maryland, Connecticut, Mississipi e Lousiana. Mais de 1,6 milhão de estadunidenses estão sem energia elétrica por conta do furacão Ida.

“Não temos escolha, meus amigos. O futuro que falávamos em termos longínquos, esse futuro chegou, é agora, está acontecendo. Estamos perdendo vidas, estamos perdendo propriedade e não podemos continuar mais por esse caminho”, disse Kathy Hochul em entrevista coletiva no dia de hoje. A recém-empossada governadora que assume o estado após Andrew Cuomo renunciar por denúncias de assédio sexual também anunciou que irá colocar todo o estado em situação de emergência.

Também em 2021: Eventos extremos, frio e calor excessivos são fruto da crise climática e devem piorar 

O senador novaiorquino que lidera o Partido Democrata no Senado, Chuck Schumer, afirmou que ações para conter a mudança climática são urgentes. “Quando você tem duas chuvas extremas batendo recordes em praticamente duas semanas, não há como chamar de coincidência. Quando vemos as mudanças climáticas, não é possível dizer que se trata de uma coincidência. O aquecimento global já nos afeta e só vai piorar, e piorar, e piorar. A não ser que façamos alguma coisa urgente contra isso”, disse.

 

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.