Design

‘Oscar do design’ vai para poltrona biodegradável de estudantes brasileiros

16 • 09 • 2021 às 18:52
Atualizada em 21 • 09 • 2021 às 10:52
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

O projeto de poltrona biodegradável de dois estudantes brasileiros ganhou o principal prêmio do ‘Oscar do design‘ mundial, o iF Design Talent Award 2021. Gislaine Lao e Felipe de Carvalho Ishiy criaram o mobiliário sustentável chamado “Não Fere” para seu trabalho de conclusão de curso na Universidade Federal do Paraná (UFPR), utilizando estrutura de metal e biofilme bacteriano como alternativa ao revestimento de couro.

“Contestar o estado atual das coisas, e causar reflexão sobre a exploração animal e seus impactos ambientais, é o objetivo da Não Fere”, conta a dupla na página de seu projeto Intervem Design, no Instagram.

O nome da poltrona faz referência ao principal propósito de Gislaine e Felipe: fazer algo pelos animais e pelo planeta. “Seu conceito ativista, junto de sua silhueta e cores marcantes, tornam o produto um demonstrador para o uso de um material resistente e durável, mas ainda assim biodegradável, propondo uma nova experiência, com um móvel sem sofrimento de animais que sentem dor”

O biofilme foi desenvolvido em colaboração com microrganismos, como bactérias e leveduras, e utilizando como substrato resíduos de café e cana de açúcar. Assim, o material pode crescer em qualquer formato e tamanho, adquirir texturas, pigmentação e impermeabilização com adição de produtos naturais.

Sob orientação da professora Elisa Strobel, pesquisadora na área de biodesign ou design with the living, eles testaram kombucha, borra de café e até resíduo de açúcar para chegar na fórmula perfeita. Depois do biofilme pronto e lavado,  o material foi colocado sobre um couro sintético para ganhar textura, que ficou bastante parecida com o couro, mesmo em maleabilidade.

O processo total leva cerca de 3 semanas para ficar pronto. “Independentemente do tamanho, o processo é sempre o mesmo. Apesar de parecer bastante tempo, não é tanto assim, se pensarmos que para um boi ou uma vaca crescerem demora anos”, aponta Lao em entrevista à Revista Galileu.

Além do material de base ser totalmente biodegradável, eles encontraram uma forma orgânica de impermeabilizar o biofilme e garantir sua durabilidade para o uso.

“O mais custoso é a manutenção e a obtenção dos insumos, pois precisamos de alguém para buscar, fazer a limpeza e a higienização, tudo no mesmo dia. É um valor alto, mas como é um material novo, não é tão caro”, explica Ishiy à Galileu. “E gasta bem menos água. Usamos cerca de 10 litros de água por metro, enquanto o couro bovino requer de 8 a 10 mil litros.”

A dupla apresentou o único projeto da América Latina dentre os 86 aprovador no iF Design Talent Award – que teve ainda  5,3 mil inscritos.

Mostramos não só para o Brasil, mas para o mundo todo, que para se ter um produto inovador, diferente e bonito, não é preciso ferir ou matar um animal

Para testar o quão biodegradável o material é, os designers aplicaram fungos na poltrona “Não Fere” , que se desintegrou em um mês.

Já focada em novos projetos, a dupla é finalista de mais um concurso internacional, o From Linear to Circular Ideas, com o projeto ELO, que foi desenvolvido junto com a Mush Soluções Biotecnológicas.

“ELO é uma embalagem secundária, feita de materiais naturais e biodegradáveis, que são produzidos a partir de resíduos. Ela foi pensada para diminuir a utilização de produtos que muitas vezes não são reciclados. O fato de ser compostável e possuir sementes em sua alça possibilita que a embalagem possa ser plantada, trazendo benefícios para a natureza e uma nova experiência para quem deseja ser mais responsável ambientalmente”, contam em suas redes sociais.

Já o “Envolve” é mais um conceito de mobiliário revestido de biofilme desenvolvido em no trabalho de conclusão de curso. Nele, a dupla apresenta um puff que acolhe e circula o usuário, em um espaço contemplativo.

Publicidade