Design

Primeiro playground para parkour feito com impressão 3D será inaugurado em Praga

Vitor Paiva - 03/09/2021

O primeiro espaço para a prática de parkour todo construído em impressão 3D já está em construção em Praga, capital da República Tcheca, como um exemplo inovador e sem precedentes da forma com que tal tecnologia poderá alterar o funcionamento e a própria cara das grandes cidades. Assinada pela organização Buřinka, que no ano passado inaugurou a Protozoon, primeira casa impressa em 3D do país, o novo playground de parkour é uma parceria entre a iniciativa privada e pública, e está prevista para inaugurar ainda no mês de setembro.

Playground para Parkour em Praga

Representação de como o playground para Parkour em Praga ficará quando inaugurado

-11 artistas que criaram playgrounds inacreditáveis; e tem Picasso na lista

Assinada pelo arquiteto Daniel Samek, a obra será incluída como nova área de lazer da Escola Kupecky, em Praga, e teve como motivador a ideia de acessibilidade, já que o parkour não exige equipamentos especiais, e pode ser praticado por adultos, jovens e crianças. O uso das impressoras 3D também sugere acessibilidade pela facilitação na realização de construções, bem como o barateamento de tais obras – no caso do playground, o material utilizado foi o “rebetong”, um tipo de concreto reciclado, e a impressão de tais fundações foi feita em parceria com pesquisadores da Brno University of Technology.

Playground para Parkour em Praga

A impressão do projeto combina concreto reciclado com borracha

Playground para Parkour em Praga

O uso da tecnologia reduz o custo das obras e construções

Playground para Parkour em Praga

“Rebotong”, o concreto reciclado utilizado, é também mais barato que o material tradicional

-Feita com impressora 3D, esta mini casa custou apenas 4 mil dólares

O parque de parkour terá 14 por 12 metros, e combinará obstáculos impressos em concreto com áreas de impacto montadas com borracha. Segundo o arquiteto, uma das mais importantes singularidades do projeto é o fato de ser baseado essencialmente em formas arredondadas, trazendo maior dinâmica, segurança e uma estética mais apurada para a construção. “Irá trazer uma vida nova ao parkour”, afirmou Samek, lembrando que a busca por força e resistência e a procura por evitar acidentes também moveram o desenvolvimento do projeto.

Playground para Parkour em Praga

A impressão é feita em um estúdio, para em seguida o equipamento ser movido ao local

O chapéu se refere ao nome da organização: Buřinka quer dizer “chapéu-coco” 

-Togolês cria primeira impressora 3D a partir de materiais recicláveis do continente

“Construir não significa somente quatro paredes”, afirmou Libor Vošický, diretor da Buřinka. “Também é essencial oferecer a possibilidade de passar algum tempo ao ar livre, de forma segura, próximo de casa. Existem diversos playgrounds para crianças, mas os jovens não possuem muitas opções, então decidimos usar a inovadora tecnologia de impressão 3D para criar um parquinho de parkour”, afirmou Libor, lembrando que o projeto visa ao mesmo tempo confirmar os benefícios do uso do concreto reciclado. “É um outro marco para o uso dessa tecnologia de ponta”.

Playground para Parkour em Praga

O playground será parte do terreno de uma escola em Praga

Playground para Parkour em Praga

As formas arredondas do parque combinam estética e segurança no projeto

Playground para Parkour em Praga

O local está previsto para ser inaugurado ainda em setembro

Publicidade

© fotos: Buřinka/Divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.