Debate

Progressiva sem autorização em criança de 9 anos rende reação grave e cabelo raspado; entenda

Redação Hypeness - 01/09/2021

José Flávio de Souza, de 38 anos, deixou sua filha Yasmin, de 9 anos de idade, em um salão de cabeleireiro de uma conhecida. Ao voltar ao local para buscar sua filha, viu uma profissional fazendo uma progressiva no cabelo de sua filha. O homem estranhou e reclamou, mas mal sabia que o problema se tornaria muito maior: a jovem teve uma grave reação aos produtos da progressiva e está internada até agora por conta da química usada para alisar seu cabelo. As informações são da Revista Crescer.

– Escola é processada por racismo após raspar cabeça de criança sem permissão dos pais 

Criança perdeu o cabelo por conta de uso de químicos em procedimento capilar

“Como conhecia e confiava na cabeleireira, deixei minha filha no salão, mas quando eu voltei ela estava fazendo progressiva na Yasmin, sem a minha autorização. Cheguei a perguntar se daria problema, mas ela disse que era uma progressiva orgânica”, disse à Crescer.

Dois dias após o procedimento, Yasmin começou a ter uma forte coceira na cabeça e começou a vomitar. Ele a levou para um pronto socorro, que a deu uma alta rápida, diagnosticando que ela teria uma ‘leve alergia’. Posteriormente, os sintomas se tornaram mais graves.

– Beleza consciente: produtos para uma rotina de cuidados mais sustentável 

Ela não melhorou e não conseguia abrir os olhos. José a levou para um hospital. Ela está há 12 dias se tratando com antialérgicos e antibióticos, e teve de raspar a cabeça porque os médicos precisam drenar seu couro cabeludo, afetado pelos químicos da progressiva.

Os familiares assumem que formol foi utilizado no procedimento capilar feito em Yasmin, mas o pai afirma que a cabeleireira negou o uso do produto, notoriamente conhecido por ser tóxico ao couro cabeludo.

– Whindersson Nunes fala de transição capilar depois de quase 1 ano sem química no cabelo 

“Devemos evitar de aplicar qualquer tipo de produto, além do shampoo e do condicionador comum, no couro cabeludo da criança. Na dúvida, antes de qualquer tipo de tratamento, é importante ver se o produto tem o selo da Anvisa e também perguntar para o pediatra se o procedimento é seguro ou não”, explica Lílian Cristina Moreira, que é membra da Sociedade Brasileira de Pediatria, à Crescer.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.