Debate

Qual a cidade mais segura do mundo e qual a posição de São Paulo e Rio na lista

Vitor Paiva - 27/09/2021

Segurança ambiental, segurança pessoal, infraestrutura, segurança médica e segurança digital: esses foram os parâmetros através dos quais a revista The Economist listou as cidades mais seguras do mundo em 2021. Intitulado The Economist Intelligence Unit’s 2021 Safe Cities Index (SCI), o relatório foi preparado junto a um grupo variado de especialistas, a partir de vasta pesquisa, bem como entrevistas e visitas de campo – e trouxe pela primeira vez Copenhague no topo da seleção: a capital dinamarquesa marcou 82.4 pontos em um índice de 100, para um crivo dividido em algumas categorias prévias para se chegar à lista conclusiva.

O canal Nyhavn, em Copenhague

O canal Nyhavn, em Copenhague – a cidade mais segura do mundo em 2021

-Espie pela janela e veja a vista de cidades do mundo todo nesse site

Antes da lista geral apontando as cidades mais seguras do mundo, o relatório levantou listagens em cada uma das categorias citadas acima como parâmetros para o apontamento – das quais, Copenhague somente liderou na categoria “Segurança pessoal”: o bom posicionamento da cidade em todas as categorias, porém, garantiu a “eleição” na pontuação geral. Na categoria “Segurança Digital”, ficou em primeiro a cidade de Sidney, na Austrália – que na contagem geral foi apontada como a quarta cidade mais segura do mundo. Tóquio conquistou o topo na categoria “Segurança médica”, e na listagem geral a capital do Japão ficou em quinta colocada.

Ruas de Copenhague

A capital da Dinamarca liderou o tópico sobre segurança pessoal, mas se posicionou bem em todas as outras categorias

-Passeio virtual por cidades do mundo com direito a som ambiente e rádio local

Em “Infraestrutura de segurança” quem ficou em primeiro foi a cidade de Hong Kong, que ocupou a oitava colocação na lista geral, empatada com Melbourne: em “Segurança ambiental” a melhor cidade do mundo foi apontada como sendo Wellington, na Nova Zelândia, que terminou em sétima colocada na lista geral. A categoria ambiental foi a única que trouxe uma cidade brasileira entre as 10 primeiras colocadas: o Rio de Janeiro aparece na oitava posição da lista, com 83.3 pontos: a cidade neozelandesa liderou a categoria com 91.7 pontos.

Paisagem do Rio de Janeiro

Em “Segurança ambiental” o Rio de Janeiro ficou na oitava posição

-Número de armas deve triplicar no Brasil em 4 anos

Outro ponto notável sobre o desempenho das cidades brasileiras foi o fato de, afora a categoria ambiental citada – na qual São Paulo também aparece em sua melhor colocação, ocupando 23º lugar – todos os outros posicionamentos das duas cidades brasileiras foram abaixo da média da determinada listagem. Em “Segurança Médica”, São Paulo aparece na 48ª posição, enquanto o Rio lista em 53º; em “Infraestrutura”, a capital paulista aparece na 38ª posição, com o Rio em 41º lugar, e em “Segurança pessoal”, o Rio de Janeiro é listado na 36ª posição, com São Paulo na 40ª colocação.

Centro de São Paulo visto de cima

São Paulo empatou com o Rio na lista geral, na 39a posição – ambas abaixo da média geral

-SP tem mais prédios do que casas pela 1ª vez, aponta estudo; tendência é de alta

Na listagem geral, apontando as cidades mais seguras do mundo, Rio e São Paulo aparecem empatadas, mas não em uma boa posição: as duas cidades marcaram 53.8 pontos, em índice que as posicionou em 39º lugar – a média da lista geral foi de 61.7 pontos. As primeiras dez colocações da lista geral das cidades mais seguras do mundo, apontadas pelo The Economist Intelligence Unit’s 2021 Safe Cities Index (SCI) podem ser vistas abaixo, e o relatório pode ser baixado em inglês aqui.

  1. Copenhague (Dinamarca) – 82.4
  2. Toronto (Canadá) – 82.2
  3. Singapura (cidade-estado) – 80.7
  4. Sidney (Austrália) – 80.1
  5. Tóquio (Japão) – 80.0
  6. Amsterdam (Países Baixos) – 79.3
  7. Wellington (Nova Zelândia) – 79.0
  8. Hong Kong (Região administrativa da China) – 78.6
  9. Melbourne (Austrália) – 78.6
  10. Estocolmo (Suécia) – 78.0

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.