Ciência

Urnas funerárias encontradas no Equador revelam restos mortais de povo anterior à invasão europeia

Vitor Paiva - 03/09/2021

Diversas urnas funerárias datando de período pré-hispânico ou anterior à invasão europeia no continente foram encontradas acidentalmente em fazenda localizada ao centro do Equador. A descoberta se deu enquanto trabalhadores removiam terra utilizando maquinaria pesada na área da propriedade, localizada em Vinces, na província de Los Rios, a cerca de 270 km da capital, Quito: nas urnas foram ainda encontrados restos mortais de pessoas pertencentes à cultura Milagro-Quevedo, que vivia na região antes da chegada dos espanhóis.

Urnas em cerâmica da cultura Milagro-Quevedo

As urnas em cerâmica foram encontradas em fazenda particular © Alcaldia de Vinces/Reprodução/Facebook

-Túmulo de 1500 anos com casal abraçado é encontrado por arqueólogos na China

A descoberta aconteceu na fazenda da família Aspiazu, que abriu o sítio arqueológico para o trabalho das autoridades e especialistas. As escavações revelaram as urnas feitas em cerâmicas, nas quais o povo ancestral enterrava seus falecidos em posição fetal dentro dessas urnas de cerâmica. Os artefatos descobertos foram enviados para as instalações locais do Instituto do Patrimônio Cultural (INPC), e toda área agora segue sendo estudada, para outras retiradas e em busca de novas descobertas.

Urnas em cerâmica da cultura Milagro-Quevedo

A descoberta se deu com a remoção de terra no local @ INPCEcuador/Twitter/Reprodução

Urnas em cerâmica da cultura Milagro-Quevedo

As urnas ainda apresentavam restos do povo Milagro-Quevedo © Alcaldia de Vinces/Reprodução/Facebook

-Esqueleto de ex-escravo achado na antiga Pompeia dá pistas sobre vida antes de erupção do Vesúvio

Pois além das peças da cultura Milagro-Quevedo, as escavações também revelaram vestígios de populações pré-históricas que viviam na região durante o período paleolítico, há cerca de 12 mil anos. “Existe uma verdadeira especificidade do material encontrado. O patrimônio cultural é a herança própria do passado de uma comunidade, mantida até hoje e transmitida às gerações presentes”, afirmou o prefeito, em post no Facebook.

Urnas em cerâmica da cultura Milagro-Quevedo

Ossos encontrados dentro das urnas © Instituto Nacional de Patrimônio Cultural Equador

-Arte rupestre: ‘Capela Sistina pré-histórica’ é descoberta nos confins da selva amazônica

Conhecidos como chonos, cayapas ou colorados, os indivíduos da cultura Milagro-Quevedo viviam na região entre os anos 500 da Era Comum, até cerca de 1500, com a chegada dos europeus no continente e no país. Trata-se de uma das últimas culturas originárias a existirem na região antes da invasão espanhola, que vivia nas montanhas andinas e na costa do Equador, baseando sua economia no comércio de algodão, cobre, ouro e na folha de coca.

Urnas em cerâmica da cultura Milagro-Quevedo

O terreno isolado para a escavação © Instituto Nacional de Patrimônio Cultural

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.