Criatividade

YouTube contribui com R$ 3,4 bi para o PIB e cresceu o número de influencers que ganham mais de R$ 10 mil, diz estudo

Vitor Paiva - 23/09/2021 | Atualizada em - 27/09/2021

Um estudo realizado pelo YouTube junto ao instituto Oxford Economics afirma que a plataforma de vídeos teria gerado ao Brasil, em 2020, cerca de 122 mil empregos em período integral, contribuindo com o Produto Interno Bruto (PIB) nacional um montante total de cerca de R$ 3,4 bilhões.  Os números foram calculados a partir de pesquisas realizadas diretamente com 3.900 usuários da plataforma, 900 criadores de conteúdo e 500 negócios ativos ligados ao YouTube, e as conclusões foram baseados nas informações oferecidas pelos próprios donos de canais.

YouTube

A participação do YouTube tornou-se considerável na economia do país © Getty Images

-Felipe Neto é o mais novo ‘classe média sofre’ ao comentar prejuízo com queda do YouTube

Intitulado “Da Oportunidade ao impacto: avaliando os benefícios econômicos, sociais e culturais do Youtube no Brasil”, em tradução livre, o estudo aponta não somente os ganhos econômicos diretos, mas também o suporte indireto oferecido como efeitos dos conteúdos eventuais publicados na plataforma. “YouTube nutre tendências positivas significativas para os criadores brasileiros, em termos de conquistas profissionais, crescimento de negócios e melhorias de habilidades práticas, bem como ao servir como fonte vital para professores e aprendizes”, diz a abertura do estudo. Existem hoje, na plataforma, 10 formas diretas diferentes de um canal levantar fundos – através de anúncios, mas também por repasses diretos (Shorts Fund e YouTube Premium), clubes de assinantes, stickers, chats, lives e mais.

KondZilla é o maior canal brasileiro, com mais de 60 milhões de pessoas inscritas

KondZilla é o maior canal brasileiro, com quase 65 milhões de pessoas inscritas © YouTube/reprodução

-Vídeos de casas, cabanas e piscinas sendo construídas à mão viram mania no Youtube

O documento confirma que, em 2020, o número de criadores de conteúdo que recebem valores superiores a R$ 10 mil mensais diretamente a partir dos vídeos publicados cresceu 70% em relação ao ano anterior: no mesmo período, registrou-se 2 mil canais com mais de um milhão de inscritos no período, em aumento equivalente a 30%. O mesmo aumento percentual foi registrado em canais com mais de 100 mil inscritos, num total de 20 mil canais de tal tamanho em relação a 2019. O documento oferece diversos exemplos de canais de conteúdo que ilustram as várias dimensões e formas pelas quais a plataforma trouxe tais benefícios, diretos ou indiretos, para a realidade do país.

Musicista gravando para o Youtube

O YouTube oferece conteúdo diário dos mais diversos tipos – da política às artes © Getty Images

-O que fez de ‘Baby Shark’ o vídeo mais assistido da história do YouTube

Segundo o estudo, a importância da plataforma vai hoje, no Brasil, muito além dos criadores de conteúdo que efetivamente alcançaram sucesso – e lucro – a partir dos próprios vídeos e anunciantes, mas também como meio de informação e principalmente divulgação para os mais variados tipos de negócios e empresas no país. De acordo com o levantamento, para 92% dos negócios, de pequeno ou médio porte, que possuem canal no YouTube, a profusão de conteúdo na plataforma é ferramenta fundamental para uma melhor e mais eficaz relação com os clientes. O estudo pode ser baixado, em inglês ou português, no site da Oxford Economics.

Aula de Yoga pelo Youtube

A pandemia levou diversas atividades às transmissões no YouTube – como aulas de yoga, por exemplo © Getty Images

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.