Debate

A ‘viúva negra’ do Japão que matava amantes com composto químico

Redação Hypeness - 19/10/2021

Apelidada de “Viúva Negra”, Chisako Kakehi, uma japonesa de 74 anos ficou mundialmente conhecida por assassinar seus companheiros. A serial killer que ganhou o nome da aranha venenosa que mata seus parceiros após o acasalamento, foi recentemente condenada à morte depois de ter recurso negado no tribunal.

Chisako Kakehi tinha 60 anos quando começou sua série mortal de relacionamentos, matando três parceiros idosos – incluindo um homem com quem ela estava casada há menos de um mês. Ela também admitiu ter tentado matar um quarto amante acidentalmente usando uma dose muito baixa de cianeto, sua arma preferida. Mais tarde, ele morreu de câncer.

A ‘viúva negra’ do Japão que matava amantes com composto químico

Ela foi condenada pelos três assassinatos e pela tentativa de homicídio em 2017. Um detalhe é que ela teve três maridos antes desse período que também morreram, mas os promotores não a acusaram de mortes que não eram consideradas suspeitas na época. Não há planos de exumar seus restos mortais para testes.

Investigação da Viúva Negra

Kakehi deixou um rastro de evidências contundentes, incluindo seus aplicativos de serviço de namoro em que estipulava que qualquer casamento em potencial deveria ser idoso, doente ou sem filhos.

Os promotores também encontraram livros médicos em sua casa, com páginas sobre envenenamento marcadas, vestígios de cianeto e parafernália usada para esconder a droga letal na comida e bebida de seus amantes.

Os assassinatos pelos quais ela acabou sendo condenada ocorreram entre 2007 e 2013, durante os quais ela acumulou uma bela recompensa de mais de $ 9 milhões de dólares em heranças e seguros dos homens mortos.

Os promotores argumentaram que ela os seduziu e os convenceu a acreditar que seu amor era sincero, enquanto trabalhava clandestinamente para se certificar de que ela era a principal benfeitora de suas fortunas. Ela perdeu a maior parte de seu dinheiro em más negociações com o mercado ações, de acordo com relatos da imprensa japonesa.

“Vou rir disso”

Seu julgamento em 2017, que durou quatro meses, atingiu o Japão e questionou por que os serviços de namoro não tinham um algoritmo que pegasse alguém atacando parceiros ricos ou doentes, idosos e sem filhos.

Seus crimes foram descobertos quando vestígios de cianeto foram encontrados no sangue de sua última vítima depois que a polícia ordenou uma autópsia por suspeita de que a morte de tantos amantes certamente não foi coincidência.

Ela prontamente admitiu ter matado o marido durante o julgamento e, mais tarde, retirou-se da confissão. “Não recebi nenhum dinheiro depois que me casei com ele”, disse ela no tribunal, de acordo com o Japan Times. “Não tenho intenção de esconder a culpa. Vou rir disso e morrer se for condenada à morte amanhã”.

Yuko Miyazaki, a juíza presidente que determinou que a sentença de morte de Kakehi seria mantida, considerou sua decisão inevitável. “Ela usou cianeto nos homens depois de fazer com que eles confiassem nela como parceira para a vida”, disse ela, de acordo com a emissora NHK. “É um crime calculado e cruel baseado em uma forte intenção de assassinato.”

Os advogados de Kakehi argumentaram que a assassina sofria de demência e não deveria ser condenada à morte, mas não tiveram resultado favorável na corte. A data do enforcamento ainda não foi definida.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.