Arte

Artista dinamarquês some com dinheiro de um museu: essa é sua obra de arte

Vitor Paiva - 04/10/2021

O debate a respeito do que deveria ou não deveria ser considerado “arte” – e quem teria ou não teria o direito a determinar tal coisa – é antigo e cheio de desdobramentos, mas definitivamente ganhou um novo parágrafo a partir da última “obra” criada pelo artista dinamarquês Jens Haaning. A encomenda veio do Museu Kunsten de Arte Moderna, em Aalborg, quarta maior cidade da Dinamarca, e originalmente tinha como intuito patrocinar a recriação de antigas obras do artista para uma nova exibição: no lugar da recriação, porém, Haaning criou a obra “Take the Money and Run”, e entregou ao museu nada além de telas em branco para serem expostas.

As telas em branco que formam "Take the Money And Run"

As telas em branco que formam “Take the Money And Run” © Kunsten Museum of Modern Art

-A síndrome que faz com que as pessoas enlouqueçam quando veem obras de arte

O título da exposição explica o gesto: em tradução livre, o nome proposto quer dizer “Pegue o dinheiro e fuja”, e as cédulas em questão seriam utilizadas como matéria prima para realização das obras, para realizar as peças desenvolvidas em 2007 e 2010 originalmente, mostrando a renda média anual na Áustria e na Dinamarca respectivamente. A decisão de simplesmente embolsar as 534 mil coroas dinamarquesas em dinheiro – valor equivalente a cerca de 446 mil reais – se deu, segundo o artista, como um gesto de protesto, ampliando o sentido original do trabalho.

"Salário médio de um austríaco", de Jens Haaning

“Salário médio de um austríaco”, uma das obras que seriam reconstruídas para a exposição © Jens Haaning/Sabsay Gallery

-Monet, Van Gogh, Da Vinci… Museu Nacional dos EUA libera 45 mil obras para download

“Estimulo outras pessoas que têm péssimas condições de trabalho como eu a fazer o mesmo”, afirmou o artista. “A obra de arte é que eu peguei o dinheiro deles. Não é roubo, é uma brecha no contrato, e a brecha no contrato é parte da obra”, explicou. A decisão de tornar a exposição original em “Take the Money and Run” se deu após Haaning descobrir que receberia cerca de 3.900 dólares para realizar as duas obras que anteriormente iriam compor a exposição – a inclusão das peças, e a forma como seriam incluídas na exposição, segundo o artista, esvaziaram o próprio sentido dos trabalhos.

O museu incluiu as telas em branco na exposição "Work it Out"

O museu incluiu as telas em branco na exposição “Work it Out” © Kunsten Museum of Modern Art

-Londres ganha exposição sobre cachorros com curadoria de cachorros

A direção do museu, que somente descobriu o gesto de Haaning quando abriu a caixa que conteria as peças encomendadas para encontrar duas telas brancas, negou ter pagado um valor injusto ao artista, e até aqui não contestou o gesto, incluindo as telas na exposição “Work it Out”. O artista, porém, tem de devolver o valor até o dia 06 de janeiro, em prazo previsto, segundo a direção, em contrato, ou então medidas legais serão tomadas de acordo com comunicado. Até aqui, porém, Haaning afirmou que não pretende devolver a quantia: essa é, afinal, sua obra de arte.

O Kunsten Museum of Modern Art, na cidade dinamarquesa de Aalborg

O Kunsten Museum of Modern Art, na cidade dinamarquesa de Aalborg © Wikimedia Commons

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.