Ciência

Conheça detalhes do Pterossauro brasileiro que viveu onde hoje é Chapada do Araripe

Vitor Paiva - 18/10/2021 | Atualizada em - 19/10/2021

Situada na divisa dos estados do Ceará, Pernambuco e Piauí, a Chapada do Araripe é um dos mais ricos sítios arqueológicos do Brasil. E se hoje o local é casa de mais de 300 espécies de aves, 90 mamíferos, 70 répteis e 24 anfíbios, há mais de 100 milhões de anos esse acidente geográfico era “endereço” de um Pterossauro identificado recentemente por cientistas como um dos muitos moradores da região no passado. Apesar de não chegar a medir nem um metro de altura, o animal tinha mais de três metros de envergadura, e uma imensa crista na cabeça que provavelmente servia à comunicação visual da espécie a fim de estimular o acasalamento.

Ilustração de Júlia D’Oliveira representando o Pterossauro descoberto

Ilustração de Júlia D’Oliveira representando o Pterossauro descoberto © Wikimedia Commons

-O incrível fóssil completo de dinossauro que foi resgatado do tráfico

O novo animal identificado atualiza a árvore genealógica da espécie, também encontrada em fósseis de outros locais do planeta como China, Espanha e Marrocos, e foi batizado de Kariridraco dianae. O nome mistura uma referência à etnia indígena kariri, originária da região do Araripe, com a palavra latina “draco”, que quer dizer “dragão”. O estudo afirma que o animal provavelmente se alimentava de frutos e pequenos animais, em hábito alimentar semelhante ao das garças de hoje, e não tinha dentes. Além da exuberância de sua fauna e flora, a Chapada do Araripe é conhecida por pela grande quantidade de fósseis encontrados.

Detalhes de partes dos fósseis estudados do Pterossauro

Detalhes de partes dos fósseis estudados do animal © Acta Paleontologica Polonica

-Cânions do Sul do Brasil estão a caminho de se tornar patrimônio mundial

Vale reiterar que os Pterossauros não são dinossauros, mas sim animais que dividem ancestral comum com os imensos répteis do passado. Apesar de terem sido provavelmente os primeiros animais alados a conquistarem os céus, há cerca de 80 milhões de anos e antes das aves, eles não deixaram representantes diretos nas fauna de hoje após sua extinção, há cerca de 65 milhões de anos – os pássaros modernos são descendentes dos dinossauros. Outro exemplar de pterossauro foi recentemente também encontrado no Brasil, e batizado de Tupandactylus navigans.

Outra parte dos ossos encontrados no Araripe

Outra parte dos ossos encontrados no Araripe © Acta Paleontologica Polonica

-Entenda disputa Brasil x Alemanha pelo fóssil do dinossauro Ubirajara

A descoberta pode ajudar também no estudo da evolução das plantas, flores e frutos, já que o Kariridraco dianae espalhava sementes ao se alimentar pela região através de suas fezes, e podem ter ajudado diretamente na formação da flora atual. O estudo mais recente foi publicado na revista Acta Paleontologica Polonica, e foi realizado em uma parceria entre pesquisadores da Unipampa (Universidade Federal do Pampa, no Rio Grande do Sul), da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e do Museu Nacional, no Rio. O fóssil estará disponível no Museu de Paleontologia de Santana do Cariri, no Ceará, próximo ao local onde foi encontrado.

Visão pelo lado cearense da Chapada do Araripe

Visão pelo lado cearense de parte da Chapada do Araripe © Wikimedia Commons

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.