Sustentabilidade

Imagens: maior lago da América do Sul está ficando verde e isso pode ser fatal

Vitor Paiva - 21/10/2021 | Atualizada em - 22/10/2021

Imagens capturadas por satélite e divulgadas recentemente pela NASA revelaram o quadro emergencial no qual se encontra atualmente o Lago Maracaibo, na Venezuela. As imagens revelam que o corpo d’água, um dos maiores lagos do continente, está verde e com manchas de óleo em sua superfície, em parte por conta dos vazamentos de petróleo e outros químicos da indústria em suas águas. Segundo especialistas, a situação do corpo d’água é uma tragédia econômica, ambiental e de saúde pública, já que o lago oferece suporte hídrico, econômico e de trabalho, como a principal fonte de riquezas da região.

Ponte sobre o Lago Maracaibo, na Venezuela

Ponte sobre o Lago Maracaibo, na Venezuela © Wikimedia Commons

-Noruega se recusa a perfurar poço de petróleo milionário por impacto ambiental

Com 13.210 quilômetros quadrados localizado ao noroeste do território venezuelano, o lago seria o maior da América do Sul e é, na verdade, uma baia conectada ao mar do Caribe, que oferece rota de transporte a partir do porto de Maracaibo, a segunda maior cidade do país. A região é um dos polos da indústria petrolífera na Venezuela e, segundo especialistas, a coloração esverdeada revelada pelas imagens é causada por algas que se alimentam de nutrientes como nitrogênio e fósforo, presentes nas águas a partir de despejos das cidades e indústrias da região.

O Lago Maracaibo esverdeado visto nas imagens recentes de satélite

O Lago Maracaibo esverdeado visto nas imagens recentes de satélite © NASA

Lago Maracaibo

As manchas de óleo e as algas se espalharam através das correntes no lago © NASA

Lago Maracaibo

Toda a economia da região utiliza de forma direta ou indireta o lago © NASA

-Aspirantes a influencers confundem lixão tóxico com lago paradisíaco

A reprodução das algas bloqueia a luz do sol e impede o crescimento da vegetação natural dos lagos, bem como reduz a população de peixes e outros animais: o processo, portanto, reduz o oxigênio nas águas e provoca alta mortandade de peixes, causando grande impacto na indústria pesqueira, e podendo trazer males para a saúde de quem consumir peixes e a própria água. As imagens da agência especial dos EUA revelam redemoinhos nas cores verde, cinza e marrom que, movidos pelas correntes naturais, acabam por espalhar os poluentes pelo lago.

Lago Maracaibo

A indústria da pesca vê o cenário como trágico na região © NASA

Lago Maracaibo

O Maracaibo é há décadas afetado pelos poluentes © Getty Images

-O lago mais profundo e limpo do mundo tem registros impressionantes de sua fase congelada

Mais do que a presença das algas, porém, segundo especialistas é especialmente preocupante as manchas de óleo registradas em diversas partes do Maracaibo pelas imagens de satélite. Mais de 10 mil instalações da indústria de petróleo residem nos arredores do lago, ameaçando a fauna e a flora da região, bem como a qualidade das águas e a saúde da população. Uma antiga e imensa rede de dutos se espalha por milhares de quilômetros sob a superfície do lago sem a devida manutenção, e os vazamentos são recorrentes. O Lago do Maracaibo possui uma das maiores reservas de petróleo e gás do mundo, e dois terços do petróleo produzido no país vêm dessa região.

Lago Maracaibo

Os vazamentos e derramamentos são recorrentes nas águas do lago © Getty Images

Lago Maracaibo

Mais de 10 mil instalações petrolíferas ao redor do lago poluem o Maracaibo © Getty Images

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.