Ciência

Nova investigação da OMS pode ser ‘última chance’ de detectar origem do coronavírus

Redação Hypeness - 22/10/2021 | Atualizada em - 26/10/2021

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aposta em um grupo de cientistas para descobrir, finalmente, qual é a verdadeira origem do Sars-Cov-2, o vírus que deu origem à pandemia de Covid-19. Para o diretor de Emergências da OMS, Michael Ryan, esta pode ser a última chance para entender qual foi a origem do vírus.

– Máscaras: por que ainda é importante usá-las mesmo com a vacinação avançando?

A cidade de Wuhan, na China, em foto de 2015.

Isso porque esses pesquisadores serão enviados à cidade de Wuhan, na China, onde a pandemia começou. Ao todo, o Grupo de Aconselhamento Científico sobre as Origens de Novos Patógenos (na sigla, em inglês, é Sago, de “Scientific Advisory Group on the Origins of Novel Pathogens”) será composto de 26 especialistas.

O objetivo deles é recolher amostras de sangue para realizar uma série de testes de avaliação, principalmente nos primeiros contaminados pela Covid-19. A ideia é verificar, entre outros fatores, como estão os anticorpos contra a doença nos organismos dos moradores de Wuhan. 

A OMS pretende investigar os primeiros casos de óbito na cidade e avaliar, também, se o vírus foi passado de animais para humanos ou se foi vazado de um laboratório na China. 

– Vacinas de 2ª geração: como serão as ‘atualizações’ dos imunizantes contra Covid, segundo Pasternak

Uma das hipóteses mais fortes sobre a origem do Sars-Cov-2 é a sopa de morcego, comum nos mercados populares da China.

A segunda hipótese é considerada extremamente improvável por grupos de pesquisa enviados anteriormente à Wuhan. A própria OMS enviou um grupo para a cidade chinesa em fevereiro deste ano. Os pesquisadores presentes no coletivo concluíram que a transmissão havia acontecido de morcegos para humanos, mas sugeriu uma nova rodada de análises. 

A origem do novo coronavírus tem sido motivo de uma guerra geopolítica entre China e Estados Unidos, especialmente durante o fim do governo Trump. 

– Distanciamento de 2 metros não é eficiente sem máscara, diz estudo

Moradores de Wuhan se aglomeram em uma estação de trem da cidade.

Segundo o repórter Tulip Mazumdar, da “BBC”, a OMS afirma que a China não forneceu dados importantes relativos aos primeiros dias da pandemia e tem caminhado na direção de investigar, até as últimas dúvidas, se o vírus realmente não surgiu em laboratório.

O governo chinês tem se recusado a admitir a entrada de cientistas de outros países. Espera-se que o grupo designado pela OMS, com especialistas de 26 países diferentes, rompa o impasse e consiga respostas que evitem o surgimento de novas pandemias“, escreve o jornalista. 

A investigação também tem como objetivo identificar origens de outros possíveis patógenos que podem desencadear, no futuro, uma nova pandemia. 

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.