Futuro

Talibã volta a proibir homens de apararem ou rasparem a barba no Afeganistão

Vitor Paiva - 04/10/2021

Na província de Helmande, ao sul do Afeganistão, barbeiros estão rigorosamente proibidos de aparar ou raspar barbas de seus clientes, sob o risco de severa punição pela polícia religiosa do novo governo Talibã. A restrição foi informada através de pôsteres espalhados em salões da província, que lembram que “ninguém tem o direito de reclamar” pois, de acordo com interpretação radical, a medida cosmética é vista como violação da lei islâmica: segundo relatos noticiados em reportagem da BBC, ordens semelhantes já foram impostas contra barbeiros na capital do país, Cabul.

Foto tirada em Cabul em 2003, quando as barbearias começaram a se tornar populares no Afeganistão, após a primeira queda do Talibã

Foto tirada em Cabul em 2003, quando as barbearias começaram a se tornar populares no país, após a primeira queda do Talibã

-Afeganistão: como domínio Talibã afeta mais mulheres e garotas

Segundo relatos coletados anonimamente entre os profissionais da capital, os guerrilheiros talibãs avisaram aos barbeiros que poderão enviar inspetores disfarçados, a fim de confirmar que a ordem para deixarem de reproduzir “o estilo americano” está sendo seguida. Ao longo dos anos do primeiro regime Talibã no Afeganistão, entre 1996 e 2001, proibição semelhante era imposta e, além de obrigar os homens a deixarem suas barbas crescerem, era também proibido cortes de cabelo espalhafatosos: após a queda, porém, durante as últimas duas décadas os cortes e as barbas aparadas se tornaram populares entre a população masculina.

Propagandas pela cidade oferecem serviços de barbearia e cortes de cabelo para homens afegãos

Propagandas pela cidade oferecem serviços de barbearia e cortes de cabelo para homens afegãos

-A verdade por trás das fotos de um suposto Afeganistão moderno nos anos 1970

A ordem possui também impacto econômico, já que diversos profissionais veem a nova lei como um decreto mortal sobre seus negócios: profissionais que há 15 anos trabalhavam em salões e barbearias para manterem suas famílias, agora têm o futuro ameaçado. Pois mesmo nas regiões do país ocupadas pelo Talibã onde a ordem ainda não foi oficialmente instaurada, os barbeiros já começaram a não mais aparar barbas e os clientes em potencial também deixaram de aparar os pêlos faciais, temendo serem tornados em alvo nas ruas.

Barbeiro em Cabul

Barbeiros no país já deixam de oferecer os serviços mesmo antes de serem efetivamente proibidos, com medo de retaliações

-França e a islamofobia que torna obrigatório o uso de máscaras mas proíbe a burca

A interpretação radical que sugere que a Lei Islâmica proíbe que se apare as barbas é contestada por teólogos e especialistas, que afirmam que não há texto ou versículo no Alcorão que obrigue a população muçulmana. A ameaça aos barbeiros é mais uma confirmação de que o Talibã moderado anunciado pelo novo governo não passou de promessa: mulheres já estão proibidas de deixarem suas casas sem a companhia de um homem, e há cerca de uma semana quatro supostos seqüestradores foram fuzilados e tiveram seus corpos pendurados nas ruas da cidade de Herat em exibição.

Barba sendo feita em Cabul, em 2003

Barba sendo feita em Cabul, em 2003: as barbearias foram proibidas tanto de raspar quanto de simplesmente aparar barbas

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.