Ciência

Condores fêmeas da Califórnia reproduzem sem precisar de machos

Vitor Paiva - 09/11/2021

Maior pássaro da América do Norte, o Condor-da-califórnia já era considerado um animal extraordinário antes de uma ainda mais incrível descoberta recente: dona da maior envergadura do continente, com cerca de 3 metros, e capaz de voar a alturas que superam os 4.500 metros, cientistas recentemente descobriram que as fêmeas da espécie são capazes de se reproduzir por partenogênese, ou sem precisarem ser fecundadas por um animal macho. Segundo relato dos envolvidos na pesquisa, a descoberta aconteceu por acaso, através de exames de DNA realizados dentro do programa de reprodução do Zoológico de San Diego, na Califórnia.

Um dos condores do zoológico na Califórnia

Um dos condores do zoológico na Califórnia © San Diego Zoo

-Bebê tubarão ‘milagroso’ nascido de tanque só de fêmeas intriga cientistas

A descoberta ocorreu a partir de exames de rotina com dois filhotes, mostrando que cada recém-nascido estava, como era de se esperar, geneticamente ligado à respectiva fêmea que pôs seu ovo – à sua mãe. A surpresa veio pelo fato deles não trazerem relação genética com nenhum animal macho: que a reprodução, portanto, se deu de forma assexuada, sem a fertilização por espermatozoides. “Nossos resultados mostraram que ambos os ovos possuíam os cromossomos sexuais masculinos ZZ esperados, mas todos os marcadores foram herdados apenas de suas mães”, afirmou Oliver Ryder, diretor de Genética de Conservação do Kleberg Endowed na San Diego Zoo Wildlife Alliance, ONG de conservação de animais ligada ao Zoológico de San Diego.

Condor-da-califórnia

São tão poucos os indivíduos da espécie que eles são numerados para suas proteções © Wikimedia Commons

-Desmatamento na Amazônia está matando a maior águia do mundo de fome

Há um dado ainda mais extraordinário na já incrível descoberta: enquanto o fenômeno da partenogênese normalmente ocorre com fêmeas sem acesso a machos, nesse caso as mães não somente vivem próximas a machos da espécie, como já se reproduziram de forma sexuada com os companheiros anteriormente. “Acreditamos que nossa descoberta representa o primeiro exemplo de partenogênese aviária facultativa em uma espécie de ave selvagem, quando um macho e uma fêmea estão alojados juntos’, revelou Cynthia Steiner, diretora associada da Divisão de Pesquisa de Conservação da ONG. Os resultados dos testes foram confirmados em mostras diversas, excluindo, assim, a hipótese de ter se tratado de um erro.

O Condor-da-california

O Condor-da-california é o maior pássaro da América do Norte © San Diego Zoo

-Pássaro preso em zoológico aprende a imitar perfeitamente o choro de um bebê

As características superlativas do Condor-da-califórnia são muitas: além da imensa envergadura e de uma altura de voo próxima de um avião, a maior ave norte-americana pode passar dos 14 kg em seu peso, e viver mais de 50 anos, com uma das maiores expectativas de vida entre as aves. Espécie tradicionalmente monogâmica e com poucos filhotes e as fêmeas botando um ovo a cada dois anos, a ave é considerada em perigo crítico de extinção: em 1982, restavam apenas 22 indivíduos da espécie, mas programas de reprodução similares ao Zoológico de San Diego ampliaram a população do animal para os 430 condores atuais.

O Condor-da-california

O pássaro voa a cerca de 4,5 km de altura, com uma envergadura de mais de 3 metros de asa © Wikimedia Commons

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.