Arte

EUA devolvem 248 antiguidades roubadas de vilas pobres da Índia por ex-dono galeria em NY

Redação Hypeness - 11/11/2021

Muito comum no período do colonialismo no século XVI, o roubo de artigos culturais e religiosos de países invadidos infelizmente ainda é uma prática comum. Diversos países ricos e com grande poder bélico invadem cidades e povoados pobres em todo o mundo e contrabandeiam suas seus ícones mais importantes para serem expostos como artigos exóticos às suas elites. Até aí, nenhuma novidade.

No entanto, parece que esse padrão está mudando. No final de outubro desse ano, os Estados Unidos devolveram mais de 200 itens e antiguidades que foram roubados de vilas e povoados do interior da Índia. As peças que foram devolvidas para as autoridades do país asiático foram avaliados em US$ 15 milhões (R$ 84,5 milhões) e estão no centro de uma investigação envolvendo Subhash Kapoor, ex-dono de uma galeria de arte em Nova York, de 72 anos. Kapoor foi acusado de roubo, tráfico e contrabando de pelo menos 2.500 peças do Sul da Ásia, num total de US$ 143 milhões.

O primeiro-ministro da Índia Narendra Modi com a então procuradora-geral dos EUA Loretta Lynch em uma cerimônia, em 2016, para o retorno de ídolos das peças contrabandeadas

De acordo com as autoridades americanas, 255 objetos foram devolvidos para a Índia, desde agosto de 2020. Além disso, outros 261 foram encaminhados para mais para 12 outras nações. As investigações apontam que Kapoor roubava os itens de santuários e templos em vilas pobres, onde muitos eram venerados por séculos.

O caso configura um dos maiores processos por tráfico de antiguidades na história do país, envolve oito réus e já levou a cinco condenações de 2013 até hoje. Apesar de negar todos os crimes, Kapoor está preso na província indiana de Tamil Nadu desde 2011.

 

“O caso serve como um poderoso lembrete de que indivíduos que saquearam templos sagrados em busca de lucro individual estão cometendo crimes não apenas contra a herança de um país, mas também contra seu presente e futuro”, comentou Cyrus Vance Jr, promotor do distrito de Manhattan, em um comunicado.

Obras de arte roubadas sendo examinadas após serem entregues por museus

Além de Kappor, foram condenados nos EUA tambémn a sua irmã, Sushma Sareen, e uma ex-namorada, Selina Mohamed, acusadas de esconder itens roubados. Dois restauradores de arte, Neil Perry Smith, que foi extraditado de Londres, e Richard Salmon, natural do Brooklyn também estão presos. Eles limpavam e consertavam estátuas e esculturas roubadas, conforme apuraram as investigações.

Publicidade

Reprodução/ The Value


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.