Debate

Mulher presa por xingar Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro vai responder por injúria

29 • 11 • 2021 às 14:32
Atualizada em 29 • 11 • 2021 às 14:53
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Uma mulher de 40 anos de idade foi detida pela Polícia Rodoviária Federal após xingar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na região de Resende, no sul do estudo do Rio de Janeiro. A motorista chamou Bolsonaro de “filho da p*ta”, entre outros xingamentos, e será processada por injúria.

– Bonner e Renata são intimados a depor após censura na Globo em caso de Flávio Bolsonaro e Queiroz

Bolsonaro ficou por horas em base da Polícia Rodoviária Federal acenando para motoristas. Quando foi xingado, ordenou que a Polícia abordasse quem lhe criticou.

Bolsonaro ordenou detenção

Segundo boletim de ocorrência registrado pelos policiais federais, eles abordaram o carro “mediante determinação do próprio sr. Presidente”. Ou seja, Bolsonaro ouviu o xingamento e pediu aos policiais que fossem atrás da mulher que expressou desgosto pelo chefe do executivo. Atualmente, o presidente acumula rejeição de 65% da população brasileira, segundo pesquisa recente do Atlas publicada nesta segunda-feira (29).

– Censura: CGU propõe que professor fique 2 anos sem criticar Bolsonaro para ter processo suspenso 

Bolsonaro estava em Resende para a formatura de 391 cadetes na Academia Militar das Agulhas Negras, do Exército Brasileiro. Após o evento, ele ficou mais de uma hora acenando para motoristas que passavam pela BR-116.

Duvida? Veja o vídeo:

Leia também: Felipe Neto não é 1º caso de censura contra críticos do governo Bolsonaro; veja lista

A mulher que passou pelo presidente e o xingou foi detida e agora será processada pelo crime de injúria, definido nos artigos 140 e 1410 do Código Penal. “Diante das informações obtidas, foi constatada, em princípio, ocorrência de injúria com causa de aumento de um terço na pena por ter sido cometida contra o Sr. Presidente da República”, consta no Boletim de Ocorrência.

Publicidade

Fotos: Alan Santos/Presidência da República


Canais Especiais Hypeness