Ciência

Cientista brasileiro descobriu maior cometa já visto no Universo

Redação Hypeness - 13/12/2021

O cosmólogo Pedro Bernardinelli, de 27 anos, estava analisando uma planilha com dados do Sistema Solar quando se deparou com uma novidade: o maior cometa já encontrado pela humanidade e que se dirige para a Terra. Hoje, o astro leva seu nome. Quando fez seu doutorado nos Estados Unidos, Pedro não esperava encontrar um cometa. “Essa não era a ideia. O que aconteceu foi realmente sorte”, diz ele.

 

Acontece que em abril deste ano, ele encontrou um astro massivo em uma tabela cheia de dados sobre objetos espalhados pelo universo. Mas não só: foi o maior cometa conhecido pela humanidade, cerca de 2,5 vezes maior que o detentor do recorde anterior. Poucos dias depois, o então cometa C/2014UN271 mudou seu nome para Bernardinelli-Bernstein, uma homenagem ao cientista brasileiro e seu orientador de doutorado, Gary Bernstein. “Houve um processo de mudança de nome, mas durou alguns dias. Eles me disseram para manter isso em segredo. Foi uma experiência divertida”, afirma.

Pedro Bernardinelli, cosmólogo brasileiro que descobriu o maior cometa já encontrado.

Esse novo astro foi detectada pela primeira vez em 2014, mas pouco se sabia sobre ele. Até este ano, ele era apenas um ponto de luz em milhares de imagens do céu feitas por telescópios de observação cosmológica. Portanto, assumiu um apelido temporário, um número. Agora, pelas análises do brasileiro, sabemos que tem cerca de 4,5 bilhões de anos e um diâmetro de 150 km (distância entre Rio de Janeiro e Cabo Frio ou São Paulo e Bertioga), o maior já registrado.

Espera-se que o cometa chegue mais próximo do sol no começo de 2031.

Ele também está vindo em direção à terra, mas não há nada com que se preocupar. Os números sugerem que o cometa chegará ao seu ponto mais próximo do Sol em janeiro de 2031, e ainda estará a uma distância de 11 UA (cerca de 1,5 bilhão de quilômetros da órbita de Saturno). “Uma piada que costumo contar: dizer que esse objeto está indo em direção à Terra não é errado, porque está mesmo. Mas é a mesma coisa que dizer que, toda vez que eu recebo meu salário, minha fortuna chega perto da fortuna do Silvio Santos. Tecnicamente está correto, mas não quer dizer que vá chegar lá ”, brinca o cosmologista.

Parece ficção mas não é

A Dark Energy Survey (DES), iniciativa com universitários de oito países, incluindo o Brasil, trabalha de forma colaborativa e visa “mapear centenas de milhões de galáxias, detectar supernovas e padrões de estrutura cósmica que podem revelar a natureza da energia escura acelerando a expansão do universo”, explica o site. Segundo DES, o cometa descoberto pelo Brasil é “cerca de mil vezes mais massivo que um cometa típico, o que o torna o maior cometa descoberto nos tempos modernos”.

O projeto de doutorado e pesquisa de Bernardinelli teve outro foco: medir o tamanho das galáxias e o efeito da matéria escura no universo, mas, ao analisar os dados coletados nos últimos seis anos, ele e outros colegas começaram a encontrar algumas estrelas e “objetos transnetunianos” que estão além da órbita de Netuno, o oitavo planeta do Sistema Solar.

Telescópio Blanco, no Chile, tem sido usado para a descoberta de novos astros no Universo.

“A grande graça desses objetos é que eles são uma espécie de entulho da formação do Sistema Solar, são entulhos que foram removidos. Vale muito a pena estudá-los porque, com eles, é possível reconstruir a história do Sistema Solar.” , diz. Este ano, Bernardinelli se deparou com um cometa um pouco maior e um pouco mais próximo de Netuno, enquanto analisava uma tabela com milhares de números que representam estrelas encontradas em imagens tiradas por telescópios. “Foi pura sorte, um acaso. Ele estava bem no limite do que era possível recuperar com os dados. Ficou muito claro que era algo diferente”, diz ele.

O trabalho continua

O cientista diz que o trabalho de um cosmologista pode ser bastante tedioso. Portanto, a imagem de uma pessoa normal procurando por um cometa que irá destruir a Terra através de um telescópio na janela de sua casa não é verdadeira (como no filme desastroso ‘Impacto Profundo’). “Não é assim que funciona. O trabalho é basicamente processar os dados em um supercomputador ”, afirmam.

Com o novo nome Bernardinelli-Bernstein, corpo celeste tem 150 km de diâmetro.

Nos últimos meses, Bernardinelli fez pós-doutorado na Universidade de Washington em Seattle. Agora, ele pretende estudar melhor o “seu cometa”. Há muitas coisas a descobrir, diz ele. “Ainda não entendemos o que faz os cometas se afastarem do Sol. Temos interesse em saber quais processos ocorrem na superfície desses objetos, como o derretimento do gelo com a aproximação do Sol ”, explica.

Cosmologistas e outros cientistas também querem saber quantas dessas estrelas existem. “Este é o primeiro cometa deste tamanho já observado. Mas é único ou existem outros? Qual é a população desses objetos no Sistema Solar? ”, Questiona.

Publicidade

Reprodução: BBC


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Notice: date_default_timezone_set(): Timezone ID 'UTC-3' is invalid in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/part/home/brand-channel.php on line 29

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.