Arte

Dia dos Direitos Humanos é marcado por projeções simultâneas contra o racismo em 6 cidades do Brasil

09 • 12 • 2021 às 12:06
Atualizada em 09 • 12 • 2021 às 12:08
Redação Hypeness
Redação Hypeness Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Celebrado em 10 de dezembro, o Dia dos Direitos Humanos, data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), é marcado por uma série de intervenções artísticas, inclusive uma projeção simultânea comandada pelo Projeto Seta, iniciativa criada por seis organizações da sociedade civil. As intervenções acontecem em seis cidades brasileiras a partir das 19h. 

O objetivo é fazer uso da arte para chamar a atenção, nas cinco regiões do país, para o combate ao racismo nas escolas e a promoção da equidade racial para negros e indígenas. E construtir uma aliança inovadora com seis organizações da sociedade civil nacional e internacional que terá como foco a formação de um Sistema de Educação Pública Antirracista no Brasil.

Integram essa potente iniciativa: a ActionAid, a Ação Educativa, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, a Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (Conaq), Geledés – Instituto da Mulher Negra  e a Uneafro Brasil.

Leia também: Brisa Flow: ‘A academia é racista e não consegue admitir a ciência que não seja branca’

Projeções debatem métodos de combate ao racismo

Contra o racismo e pela equidade

O Projeto Seta  apresenta projeções em seis capitais brasileiras (Belém, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Porto Alegre), com mensagens, dados e reflexões sobre a importância de combater o racismo nas escolas, enfrentar desigualdades sofridas por pessoas negras e indígenas e promover equidade racial. As projeções vão ocorrer às 19h, de forma simultânea, nas cinco regiões do Brasil.

Ana Paula Brandão, diretora de Programas da ActionAid Brasil, explica que o Projeto Seta nasce com uma capilaridade nacional e internacional e acúmulo de organizações que já atuam com a transformação social no país com diferentes iniciativas.  

“A ideia é que as projeções chamem a atenção da população nesse primeiro momento, com mensagens e imagens que explicitem a intenção dessa aliança para a educação antirracista. Entendemos a necessidade da escola ser o espaço de combate ao racismo, de oferecer o mesmo tratamento para crianças e adolescentes que vêm de lugares diferentes, de histórias diferentes”, pontua.  

O Projeto Seta 

O Projeto Seta forma uma rede nacional de líderes estudantis, pesquisadores e especialistas nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. Há ainda a conexão com movimentos negros, indígenas, da educação e da juventude. 

Suelaine Carneiro, Coordenadora de Educação e Pesquisa, de Geledés Instituto da Mulher Negra, explica que  o projeto cria uma rede com objetivo de fortalecer identidades e garantir direitos. “Tem muita coisa que precisa ser reformulada na educação. A educação popular, a tradição oral, os valores civilizatórios africanos devem ser inseridos nas práticas pedagógicas, pois fazem parte de nossa construção social”, afirma.

Confira as localidades das projeções nos seis estados:

 Belém – Rua Serzedelo Corrêa, Nazaré, Belém do Pará

Brasília – Biblioteca Nacional, Brasília

Rio de Janeiro – Avenida Nossa Senhora de Copacabana, Rio de Janeiro

Salvador – Avenida Cardeal da Silva, Rio Vermelho, Salvador

São Paulo – Rua da Consolação, Consolação, São Paulo

Porto Alegre – Rua Venâncio Aires, Centro Histórico, Porto Alegre

Publicidade

Canais Especiais Hypeness