Ciência

Escavação descobre esqueleto de homem crucificado na Inglaterra há 1900 anos

15 • 12 • 2021 às 10:08
Atualizada em 17 • 12 • 2021 às 10:38
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Uma escavação em Fenstanton, um vilarejo no condado de Cambridgeshire, a leste da Inglaterra, resultou em uma das mais raras descobertas arqueológicas da história do Reino Unido: o esqueleto de um homem, morto há cerca de 1900 anos, com um prego no calcanhar. Inicialmente realizada para avaliar a viabilidade da construção de um empreendimento imobiliário no terreno, a escavação encontrou restos mortais de pelo menos 48 indivíduos e alguns animais, mas a ossada do homem com o prego atravessando seu calcanhar parece se tratar da primeira prova de uma crucificação romana ocorrida no país.

O osso do calcanhar atravessado pelo prego descoberto na Inglaterra

O osso do calcanhar atravessado por um prego descoberto na Inglaterra

-Novas pesquisas indicam (mais uma vez) que Santo Sudário não é verdadeiro

A escavação foi iniciada em 2017, em um assentamento à beira de uma estrada na Via Devana, que conecta as cidades romanas de Cambridge e Godmanchester. Entre os 48 indivíduos encontrados no local divididos em cinco pequenos cemitérios estavam cinco crianças, e ao redor do esqueleto do homem crucificado foram encontrados outros doze pregos, próximos à cabeça e aos pés. Um afinamento identificado na parte inferior das pernas do homem sugere uma possível infecção ou inflamação provocada por ter sido amarrado ou acorrentado. A expedição foi liderada por David Ingham, da Albion Archeology, e os resultados serão publicados oficialmente no ano que vem.

escavação na Inglaterra

O local foi escavado originalmente para a construção de um prédio residencial

escavação na Inglaterra

O esqueleto ainda no local onde foi encontrado

-Como as imagens de uma das feridas de Cristo parecem vaginas em livros medievais

“Parece implausível que o prego possa ter sido acidentalmente cravado no osso durante a construção do suporte de madeira no qual o corpo foi colocado — na verdade, há até sinais de um segundo orifício raso que sugere uma primeira tentativa malsucedida de perfurar o osso”, afirmaram os arqueólogos, em nota. A raridade da descoberta não se restringe às fronteiras inglesas: o esqueleto do homem, intitulado pelos pesquisadores de 4926, é somente o quarto exemplo de crucificação já encontrado pela arqueologia, e o segundo com um prego efetivamente preso ao osso – um outro caso foi escavado em Jerusalém, em 1968, mas a descoberta recente apresenta melhor preservação.

A descoberta é uma das quatro crucificações já encontradas pela arqueologia no mundo

A descoberta é uma das quatro crucificações já encontradas pela arqueologia no mundo

-Esqueleto descoberto na Itália pode ter sido vítima de uma das piores formas de tortura da história

Por se tratar de uma região romana na Inglaterra, os tesouros da época na região não são incomuns. Inicialmente a equipe pensou que os pregos eram resquícios de estrutura previamente construída para o sepultamento, como uma tumba ou um caixão, mas o prego atravessado no osso do calcanhar contrariou a primeira impressão. Pesquisas sugerem que o homem viveu entre os séculos III e IV, e apesar do Império Romano ter banido de modo geral a crucificação como forma de execução por volta do ano 212 da era comum, elas ainda ocorriam eventualmente, especialmente nas fronteiras mais extremas do império.

Outro ângulo do osso atravessado pelo prego da crucificação

Outro ângulo do osso atravessado pelo prego da crucificação

Publicidade

© fotos: Albion Archaeology/Reprodução


Canais Especiais Hypeness