Ciência

Iceberg: o que é, como se forma e quais suas principais características

Roanna Azevedo - 06/12/2021

Em 1912, um navio intitulado Titanic afundou nas águas do oceano Atlântico após se chocar com um iceberg. Em 1997, essa tragédia da vida real foi adaptada para os cinemas e a grande montanha gelada que a causou se tornou uma espécie inusitada de vilã.

Mas, afinal, você sabe o que é um iceberg de verdade? Reunimos os principais mitos e verdades sobre esses imensos aglomerados de gelo.

Exploradores encontram iceberg de cabeça pra baixo, e ele é de um azul luminescente raríssimo

O que é iceberg?

“Ice” vem do inglês e significa “gelo”. Já “berg” é “montanha” em sueco.

Iceberg é uma massa de gelo gigante composta por água doce que flutua pelo oceano após se desprender de uma geleira. Tem em média 70 metros de altura e seu formato varia bastante, podendo ser irregular ou mais plano. O hemisfério sul do planeta, principalmente a região da Antártida, concentra a maior parte desses enormes blocos gelados.   

Como icebergs são muito pesados, é comum que duvidem que eles flutuam na água. Mas a explicação é simples. A densidade da água doce congelada é menor do que a da água marinha, o que faz com que essas montanhas de gelo gigantes não afundem. 

Nasa encontra iceberg com formato ‘perfeito’ na Antártida

Eles também podem conter água líquida em seu interior e são muito maiores do que parecem. Somente 10% de um iceberg é visível na superfície. Os 90% restantes dele permanecem submersos. Por isso, dependendo de sua largura e profundidade reais, são extremamente perigosos para a navegação.

Representação gráfica do tamanho real e completo de um iceberg.

Como se forma um iceberg?

Nem sempre as geleiras estão ligadas ao continente, é comum que muitas tenham contato com o mar. Quando o calor e o impacto do movimento das ondas causam rupturas nessas geleiras até elas se partirem, os fragmentos gerados são os icebergs. Por causa da ação da gravidade, os enormes blocos de gelo formados se deslocam pelo oceano.

Um dos maiores icebergs da história acaba de se desprender; entenda as consequências

Os efeitos do aquecimento global na formação de icebergs

A fragmentação das geleiras que dá origem aos icebergs é e sempre foi um processo natural. Mas, nos últimos tempos, tem sido acelerado pelas consequências do efeito estufa e do aquecimento global.

O gás carbônico funciona como controlador da temperatura terrestre, precisando existir em uma quantidade específica na atmosfera para que haja estabilidade. O problema é que, desde o desenvolvimento das indústrias, houve um aumento significativo em seus níveis de emissão, o que vem deixando o planeta cada vez mais quente.

Esse aumento de temperatura indesejado faz com que as geleiras descongelem mais rápido. Assim, os fragmentos gigantes de gelo se desprendem com maior facilidade e formam os icebergs.

A68: o derretimento do que já foi o maior iceberg do mundo

O aquecimento global faz com que as geleiras descongelem mais rápido.

O derretimento de um iceberg é capaz de aumentar o nível do mar?

Não. Quando um iceberg derrete, o nível do oceano continua o mesmo. O motivo? O bloco de gelo já estava submerso no mar, a única coisa que mudou foi o estado da água, que passou de sólido para líquido. Mas a quantidade continuou a mesma.

É importante lembrar que o nível dos oceanos só é capaz de aumentar quando uma geleira sofre com derretimento. Isso acontece porque esses grandes corpos de gelo que dão origem aos icebergs se localizam na crosta continental do planeta Terra.

Empresário árabe quer mover dois icebergs da Antártida para o Golfo Pérsico

Qual é o maior iceberg do mundo?

O tamanho do iceberg A-76 comparado a cidade de Maiorca, na Espanha.

O maior iceberg do mundo é conhecido como A-76 e está à deriva no Mar de Weddell, no oceano Antártico. Com 25 km de largura, cerca de 170 km de comprimento e área superior a 4300 quilômetros quadrados, ele é quase quatro vezes maior do que a cidade de Nova York.

De acordo com o Centro Nacional de Gelo dos Estados Unidos, o A-76 era equivalente a 12% de toda a superfície da plataforma Filchner-Ronne, a geleira da qual se desprendeu.

Publicidade

Foto 1: spalla67/Pixabay

Foto 2: Reprodução/Tempo

Foto 3: Maggi Whiston/Unsplash

Foto 4: Agência Espacial Europeia


Roanna Azevedo
Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

Notice: date_default_timezone_set(): Timezone ID 'UTC-3' is invalid in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/part/home/brand-channel.php on line 29

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.