Inspiração

Menina de 6 anos que aprendeu a plantar com avó torna-se a mais jovem agricultora certificada

Redação Hypeness - 20/01/2022 às 17:54

Há alguns anos, Kendall Rae Johnson, agora com 6 anos, começou a cultivar couve no jardim de sua bisavó. Mas depois que Kendall tirou os vegetais da terra, sua bisavó – Laura “Kate” Williams – teve um pedido incomum: coloque os talos de volta no chão. “Eu disse: ‘Por que não comemos essa parte?’”, lembra Kendall. “E ela disse: ‘Nós o usamos para colocá-lo de volta no solo para crescer [mais couve]’. E eu fiquei tipo, ‘O quê?’”

 

Depois que Williams faleceu em 2017, Kendall e sua família construíram um jardim no pátio de sua antiga casa em South Fulton, Geórgia, em sua homenagem. A primeira coisa que plantaram: caules de couve. Com certeza, a família “começou a ver outras couves crescerem, e nós ficamos tipo, ‘Uau’”, disse Ursula Johnson, 38, mãe de Kendall. “[Kendall] estava tipo, ‘Ok, vamos fazer um pouco mais!’ ”

Foi assim que começou o fascínio de Kendall pela agricultura. Desde então, a situação virou uma bola de neve: em sua fazenda no quintal, ela cultiva batata-doce, couve, repolho, brócolis, maçã, pera, morango, tomate e mirtilo, disse ela. Em junho, Ursula registrou-se no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos em nome de Kendall, tornando-a uma das mais jovens agricultoras registradas, acredita sua família. Essa designação permite que ela solicite empréstimos e participe de programas de conservação.

Kendall Rae Johnson em seu quintal em uma fazenda GROWKulture. Foto: Ursula Kendall Johnson.

Em julho, Kendall começou a vender cestas mensais acessíveis de alimentos que ela cultiva em seu jardim, variando de US$ 5 a US$ 20 (de R$25 a R$100), para 18 assinantes locais por meio de seu negócio agrícola de quintal, aGROWKulture. Algumas dessas assinaturas são doações patrocinadas que vão para pessoas necessitadas, de acordo com sua mãe.

Representatividade importa

O status de Kendall como agricultora oficialmente registrada não é significativo apenas por causa de sua idade. Como uma garota negra, ela também está avançando em um campo que historicamente tem sido dominado por homens e brancos. Em 2017, as mulheres negras representavam apenas 29% dos produtores agrícolas negros em geral, de acordo com o Departamento de Agricultura , cujos pesquisadores usaram o termo “produtor” em sua coleta de dados para se referir a “todas as pessoas envolvidas na produção agrícola”.

O racismo sistêmico também é responsável pelas dificuldades que os agricultores negros enfrentam no acesso a recursos para apoiar seu trabalho. O Departamento de Agricultura concedeu empréstimos que ajudam os agricultores a pagar por terras, equipamentos e reparos, mas dos agricultores que receberam esses recursos, apenas 37% eram negros no ano passado, em oposição a 71% dos candidatos brancos. Em setembro, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) lançou uma Comissão de Equidade para abordar seu papel na “discriminação histórica” contra agricultores negros.

Para Ursula, esse contexto mais amplo estava em sua mente quando ela encorajou o interesse de Kendall pela agricultura, tornando-o oficial. “Aqui está ela, aprendendo como uma garota negra, crescendo como uma mulher negra nesta indústria”, disse Ursula. “Comecei o negócio para que, se ela decidir no futuro, ‘quero levá-lo a um nível diferente’, ela já o estabeleceu – ela só precisa continuar.”

 

Publicidade

Reprodução: aGROWKulture


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness