Viagem

A cidade do Alasca onde todas as pessoas vivem e fazem tudo no mesmo prédio

Redação Hypeness - 22/02/2022 às 09:42

Viver em um bairro unido com um forte senso de comunidade parece uma ótima ideia, mas como você se sentiria se todas as pessoas na cidade morassem no mesmo prédio? Esta é a realidade da população de Whittier, no estado americano do Alasca. Ali, cerca de 85% das pessoas vivem sob o mesmo teto de verdade.

O prédio, conhecido como Begich Towers, tem 14 andares e conta com posto de saúde, delegacia, sede dos correios e loja de conveniência. Mas antes que você pense em uma coisa muito imensa, é importante saber que o lugar abriga pouco mais de 300 pessoas.

O edifício é um antigo quartel do Exército que parece com um grande hotel. Quem chamou a atenção do mundo para esse lugar tão “acolhedor” foi a TikToker Jenessa (@messy.nessy) que revelou curiosidades do estilo de vida desta comunidade.

@messy.nessy #stitch with @livvontheedge ♬ original sound – jenessa

Ela deu um gostinho de uma visão da janela e disse: “Neste prédio há um correio, uma igreja, uma loja e escritórios. No porão deste prédio, temos um túnel que vai até a escola, do outro lado da rua. Atualmente, 318 pessoas moram aqui o ano todo.”

Em uma série de vídeos, Jenessa, que mora na cidade há sete anos, respondeu muitas perguntas que as pessoas fizeram sobre a bizarra configuração da cidade.

Ela conta que Whittier existe desde a década de 1940 e que o prédio foi construído durante a Segunda Guerra Mundial para servir como um bunker militar. Após a Segunda Guerra Mundial, muitas pessoas foram embora, mas ainda grande população permaneceu ali, até o terremoto de 1964. “Whittier teve muitos danos após o terremoto, muitas pessoas foram embora. Um dos prédios aqui, que era um alojamento militar, foi abandonado”.

Explicando por que todo mundo mora no mesmo prédio, ela disse que não existem casas à venda porque a maior parte é de propriedade da ferrovia Alaska Railroad, dona de 97% do território. “Você pode ter seu próprio apartamento neste prédio ou pode alugar de alguém. Mas em geral todo mundo tem seu próprio apartamento”. Ainda sendo donos de seu teto, cada habitante deve pagar mensalidades que incluem água, eletricidade, entre outros serviços.

-Comunidade urbana autossuficiente é utopia para quem quer viver fora do sistema

Quando outros usuários da rede social perguntaram o que ela fazia para se divertir, ela explicou que o verão é a melhor época. Nos dias quentes, as pessoas podem andar de barco, fazer caminhadas, pescar, andar de jet-ski ou passear pela geleira.

Já no inverno, não há muito o que fazer além de esquiar a cerca de 20 minutos do Begic Towers, já que tudo fecha e a neve domina todas as ruas.

Jenessa conta ainda que há muito poucos jovens na região. Sua melhor amiga mora um andar acima dela e só tem 20 pessoas da idade dela na cidade. “Ninguém realmente namora aqui porque todos nós crescemos juntos, então isso seria meio estranho”, disse.

A acessibilidade à cidade é complicada – você pode entrar de barco ou por um túnel de mão única que se estende por 4 km. A direção da viagem muda a cada 30 minutos, disse Lorenz, e os moradores devem planejar consultas médicas e viagens de acordo com o cronograma do túnel. O túnel abre às 7h e fecha às 22h.

“Eu fiz o vídeo pensando, ‘ok, ninguém vai se importar com uma cidadezinha minúscula no Alasca.’ No dia seguinte, teve milhões de visualizações e fiquei em choque”, disse a jovem ao USA Today.

-O que as cidades têm a aprender com esta pequena vila sustentável de 70 habitantes

Publicidade

Fotos: Bill Roth / ADN e arquivo pessoal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness