Diversidade

A história do jornalista cego correspondente da BBC em Washington

Vitor Paiva - 08/02/2022 às 10:24 | Atualizada em 10/02/2022 às 10:23

Ao longo de seus 30 anos como jornalista da BBC, o britânico Gary O’Donoghue já cobriu o parlamento inglês e as desventuras do governo de seu país, e principalmente viajou a trabalho diversas vezes – para Africa, os EUA, Oriente Médio, à Sérvia bombardeada em plena guerra, bem como para o outro lado da fronteira, cobrindo a guerra em Kosovo.

Seu excelente currículo como correspondente e repórter ganha contornos ainda mais impressionantes quando tomamos conhecimento de uma característica determinante: o jornalista é cego.

o britânico Gary O’Donoghue

A cegueira não impediu Gary O’Donoghue de se tornar um importante jornalista da BBC 

-O talentoso pintor cego que nunca enxergou nenhuma de suas obras

O’Donoghue nasceu com visão parcial, e aos oito anos perdeu a visão por completo. A condição não o impediu de se formar e perseguir a carreira que desejou desde os tempos de escola. Como em qualquer profissão, as oportunidades para pessoas com deficiência são raras, mas o talento e a dedicação guiaram O’Donoghue em seu caminho no jornalismo desde o começo, nos anos 90.

“Eu acordo todos os dias lembrando a mim mesmo do quanto tive sorte em minha carreira, pois não é assim para todos”, afirmou, em reportagem da BBC.

O jornalista entrevistando o senador Richard Blumenthal em Washington

O jornalista entrevistando o senador Richard Blumenthal em Washington

-O trabalho deste artista cego prova que a arte vai além dos sentidos

Voz da BBC 

Desde então, Gary se tornou voz frequente apresentando reportagens em programas de rádio da BBC, bem como um rosto reconhecido pela qualidade de seu trabalho em telejornais no tradicional canal de TV britânico – e, além do reconhecimento como jornalista, ele também valoriza o sentido de representatividade de seu trabalho.

“É importante que existam pessoas como eu nesse ofício, se o jornalismo pretende refletir apropriadamente como é o Reino Unido de fato, ou então todos os estereótipos serão perpetuados, e o mundo compreenderá melhor a deficiência”, afirmou.

O’Donoghue

O’Donoghue é corresponde político da BBC em Washington

-Primeira repórter indígena de rede de TV desmaia após reportagem em Manaus

Atualmente ele ocupa um dos cargos mais desejados entre quaisquer jornalistas do mundo: O’Donoghue trabalha como correspondente de política para a BBC em Washington, cobrindo eleições presidenciais e o conturbado dia a dia da capital dos EUA, e como chefe dos correspondentes políticos da BBC para a América do Norte. De sua deficiência visual ele tenta tirar o melhor para a profissão, lembrando, por exemplo, que pessoas cegas estão acostumadas a se esforçar especialmente para compreender a comunicação com outras pessoas, o que pode ajudar na hora, por exemplo, de conduzir uma entrevista.

“Eu não sou ingênuo a ponto de não saber que pessoas cegas têm de superar barreiras imensas, tanto naturais quanto impostas. A verdade, porém, é que nào há outra opção que não fazer seu trabalho”, conclui.

Publicidade

© fotos: YouTube/Reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness