Viagem

Intercâmbio na África do Sul é maneira viável e mais barata para falar inglês e conhecer nova cultura

Gabriela Rassy - 24/02/2022 às 15:49 | Atualizada em 04/03/2022 às 09:37

Quando pensamos em intercâmbio para estudar inglês, podemos ir muito além dos Estados Unidos, Inglaterra ou Austrália. A África do Sul é um dos países mais multiétnicos e culturalmente diversificados do continente africano. Além de sua rica biodiversidade e do clima similar ao brasileiro, viver no país é mais viável e barato. Uma boa chance para aprender o idioma e conhecer uma nova cultura.

O país de Nelson Mandela fica no extremo sul da África, entre os oceanos Atlântico e Índico. A localização parecida com o Brasil faz com que a estadia seja ainda mais agradável. Vamos conhecer alguns motivos que provam que a viagem vale muito a pena!

 

O Visto

A boa notícia também vem na burocracia. Para entrar na África do Sul, turistas e estudantes de nacionalidade brasileira não precisam de visto. Mesmo que você decida ir para estudar inglês, pode ir o visto está liberado para estadias de até três meses (90 dias). Além do passaporte, você vai precisar apresentar o Certificado Internacional de Vacinação (CIV) comprovando vacina contra a febre amarela feita no mínimo 10 dias antes do embarque.

Para períodos mais longos, brasileiros podem pedir visto, mas o trâmite é menos burocrático e mais rápido que para ir aos Estados Unidos ou Inglaterra. O visto demora cerca de 8 semana para ficar pronto, então programe-se com antecedência.

– África do Sul teve gestão da pandemia mais rígida que o Brasil

– Visto de trabalho para nômades digitais é opção para viver em diversos países; veja quais

A moeda

O rand, moeda oficial sul-africana, está atualmente mais desvalorizado em relação ao real, chegando a aproximadamente 20% do valor. Esse é um fator importante para considerar, já que outros países de língua inglesa têm moedas ao menos 5 vezes mais altas que o real. A distância mais curta em relação ao Brasil faz também com que as passagens de avião sejam mais baratas. E vamos de economia!

As belezas naturais

O Brasil tem lindas praias, mas a África do Sul não fica nem um pouco atrás. Na Boulders Beach, em Western Cape, é possível avistar pinguins; já as quatro lindas praias que formam Clifton Beache têm areias brancas e águas azuis. Para os amantes da observação de animais, vale ainda passar por Hawston Beach e se encantar com pássaros, baleias e golfinhos. No sul, vale conhecer as cordilheiras do Karoo, e, no leste, a maior cadeia de montanhas da África meridional, o Drakensberg, é a pedida de passeio. Se você viajar durante o inverno, vale ir nos pontos mais altos para ver neve.

– Joanesburgo: rolê no centro financeiro e cosmopolita da África do Sul pós-apartheid

A cultura

A Cidade do Cabo fica entre a Table Mountain e o oceano, o que já garante paisagens lindíssimas rodeadas por montanhas e pela costa, mas o ponto aqui é a atmosfera cosmopolita. É tipo o nosso Rio de Janeiro! Por ali você encontra uma vida noturna badalada, boas comidas de rua, além do mix cultural (que por aqui conhecemos muito bem). Depois de lidar com inúmeras invasões de países europeus, hoje o destino se tornou único por harmonizar arquiteturas moderna, vitoriana e eduardiana, além dos mercados, cafés e museus.

– É possível passar uma noite na casa que Gandhi viveu em Joanesburgo

O Clima

A Cidade do Cabo é a mais procurada pelos brasileiros, tanto para turismo quanto intercâmbio na África do Sul. Ali, as temperaturas ficam entre 20°C. No inverso pode chegar a 8°C e no verão, mais quente e seco, chega a bater máximas de 30ºC. A água do mar é fria, mas nada que um dia quente não amenize.

Table Mountain, África do Sul

Table Mountain

Esportes e safari

Amantes dos esportes radicais vão se sentir em casa na África do Sul. O país é especialista em desafiar sua coragem. Além dos mergulhos em gaiolas com tubarões em West Cape, é possível saltar de bungee jump da Bloukrans Bridge, a ponte mais alta do mundo, com uma queda de 216 metros. Para quem prefere atividades esportivas menos radicais, tem ainda wind boarding, kiteboarding, parasailing e caiaque no mar. Os safaris são ainda passeios que valem a visita. O Kruger Park, que fica a 500 quilômetros de Joanesburgo, tem roteiros em conta para visitar mais curtas.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Canais Especiais Hypeness