Futuro

Símbolo racista, bandeira confederada dos EUA é queimada em comercial genial de candidato negro ao senado

Redação Hypeness - 14/02/2022 às 10:13

A expressão “fogo nos racistas” nunca foi tão explicitamente empregada quanto na nova campanha de Gary Chambers ao senado dos Estados Unidos. O ativista comunitário de longa data ganhou as manchetes no início do ano com um vídeo de campanha em que fumava um cigarro gigante enquanto defendia a legalização da maconha. Agora ele foi novamente direto ao ponto lançou um comercial queimando uma bandeira confederada, símbolo racista nos EUA.

O comercial de um minuto, intitulado “Scars and Bars”, mostra Chambers botando fogo na bandeira confederada enquanto discute – e simbolicamente destruindo – o legado de Jim Crow. Promulgadas no final do século XIX, as leis de Jim Crow foram leis estaduais e locais que impunham a segregação racial no sul dos Estados Unidos.

O anúncio começa com Chambers segurando uma bandeira americana e citando a Constituição, depois substituindo-a por uma bandeira confederada, na qual embebeda em gasolina antes de acender a chama. Ele afirma, mostrando dados, que o direito dos negros americanos de votar e participar da democracia está sob ataque.

“Aqui em Louisiana e em todo o sul, Jim Crow nunca foi embora. Nosso sistema não está quebrado”, diz ele, incendiando a bandeira. “Ele foi projetado para fazer exatamente o que está fazendo, que está produzindo uma desigualdade mensurável”.

O candidato aponta as altas taxas de pobreza e privação de direitos entre os negros americanos enquanto observa a bandeira queimar. Recentemente Chambers liderou uma manifestação por essa mesma causa nos degraus do Capitólio da Louisiana.

O lançamento do anúncio coincide com a sessão especial em andamento da legislatura estadual para redesenhar as linhas políticas do estado, na qual os ativistas estão fazendo campanha por uma expansão dos distritos de maioria negra.

Gary Chambers defendeu legalização da maconha em seu primeiro vídeo viral

Gary Chambers defendeu legalização da maconha em seu primeiro vídeo viral

Os legisladores terão até 20 de fevereiro para redesenhar os distritos congressionais do estado, bem como os do Conselho de Educação Elementar e Secundária, Comissão de Serviço Público, Suprema Corte estadual e Câmara e Senado estaduais.

O público está pedindo aos legisladores que desenhem distritos congressionais que melhor representem a população negra do estado: dados do censo mostram que cerca de um terço da população do estado se identifica como negra, mas apenas um dos seis distritos congressionais do estado tem uma população majoritariamente minoritária.

A criação de um segundo distrito de maioria negra provavelmente resultaria na perda de uma cadeira republicana segura no Congresso.

“É hora de queimar o que resta da Confederação”, diz ele. “Acredito que o Sul se levantará novamente, mas desta vez será em nossos termos.”

Chambers enfrenta uma batalha árdua em seu desafio para substituir o senador norte-americano John Kennedy – o atual republicano de 70 anos – como senador júnior da Louisiana. Mas esses clipes curtos podem fornecer um grande impulso na visibilidade, com seu vídeo de maconha acumulando milhões de visualizações e considerável atenção da mídia.

“Todos os dias, os negros enfrentam novos desafios que tornam o sonho americano cada vez mais difícil de alcançar”, acrescentou Chambers no vídeo. “É o Mês da História Negra e, ao celebrarmos o progresso da comunidade negra, não podemos ignorar as partes opressivas de nossa história que continuam a moldar negativamente nossas vidas cotidianas”.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness