Sustentabilidade

Alerta de desmatamento da Amazônia atingiu recorde em fevereiro, avisa INPE

Roanna Azevedo - 15/03/2022 às 10:22 | Atualizada em 17/03/2022 às 10:15

O Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgou na última sexta-feira (11) novas informações sobre a situação do desmatamento na Amazônia. De acordo com os dados apresentados, 199 km² desmatados foram desmatados entre 1º e 28 de fevereiro de 2022, 62% a mais do que no mesmo mês em 2021.

Amazônia está perdendo capacidade regenerativa mais rápido do que o previsto e pode virar Savana

Porção da Amazônia desmatada em Rondônia.

A área com alertas de desmatamento é a maior em relação a essa época do ano desde 2016, quando o INPE iniciou as medições. O recorde se concentra nos estados do Pará, Amazonas e Mato Grosso.

Pesquisa revela conexão entre grandes marcas de moda e desmatamento na Amazônia

Considerando os alertas de desmatamento de janeiro, que somaram 430 km², os dois primeiros meses de 2022, juntos, correspondem a assustadores 629 km², três vezes maior do que os 206 km² do ano passado. “Isso tudo em um período no qual o desmatamento costuma ser mais baixo por conta do período chuvoso na região”, afirma Rômulo Batista, porta-voz do Greenpeace Brasil.

Gastos militares na Amazônia chegam a 550 milhões e não reduzem desmatamento

Área da Floresta Amazônica destruída por incêndios.

Segundo ele, um aumento dessas proporções denuncia a inexistência de políticas públicas de combate ao desmatamento na Amazônia, o que é reflexo do atual governo. A falta de uma legislação que controle e puna crimes ambientais faz com que áreas cada vez maiores sejam desmatadas, aumentando a emissão na natureza de gases do efeito estufa, por exemplo.

Amazônia vive corrida ilegal pelo ouro com centenas de balsas de garimpeiros enfileiradas no Rio Madeira

A crise climática é uma das principais consequências do desmatamento e, a medida que o tempo passa, parece ainda mais irreversível. “Os dados de fevereiro apontam para mais um ano em que o Brasil caminha na contramão do combate à destruição ambiental e dos direitos dos povos indígenas”, conclui Batista.

Publicidade

Foto 1: Leonardo Carrato/Bloomberg Creative/GettyImages

Foto 2: Vinícius Mendonça/Ibama


Roanna Azevedo
Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

Canais Especiais Hypeness