Debate

Bilionários do mundo, uni-vos!: Rússia, China e Ocidente misturam poder político e econômico em meio à guerra e pandemia

Yuri Ferreira - 07/03/2022 às 14:14

Na última semana, o bilionário russo Roman Abramovich colocou o Chelsea, sexto clube mais rico do planeta, à venda. O empresário que enriqueceu durante o colapso pós-União Soviética foi duramente pressionado pela opinião pública no Reino Unido por suas ligações com o presidente russo Vladimir Putin e acabou colocando o atual campeão da Champions League à venda para evitar represálias de patrocinadores e do poder político britânico.

Bilionários e oligarcas pelo mundo

Abramovich é um dos oligarcas russos, termo da moda para se referir aos bilionários que possuem conexões com o Kremlin. Com a invasão da Ucrânia pela Rússia, a palavra oligarca reforçou o peso destes empresários cheios de dinheiro e que mantêm relações íntimas com o poder político de Moscou. Mas a existência de multi-milionários com poder político não é exclusividade russa, e, na verdade, é prática comum em todos as potências do planeta.

oligarcas russos

Roman Abramovic fez fortuna com a privatização de bens públicos da antiga União Soviética e foi pioneiro na lavagem de reputação através do futebol

De acordo com a Revista Forbes, em 2021 existiam 724 bilionários só nos Estados Unidos. Juntos, eles somam uma fortuna de US$ 4 trilhões (ou R$ 20 tri, mais do que duas vezes o Produto Interno Bruto do Brasil). A China abriga outros 698 bilionários, com cerca de metade do patrimônio dos estadunidenses.

Contudo, é possível dizer que os bilionários de China e EUA são ligados aos seus respectivos governos como os russos? Existem exemplos claros em ambos os países que mostram a conexão entre essas figuras e seus respectivos estados.

Boa parte da fortuna do sul-africano Elon Musk, conhecido entre outras coisas pela fixação em colonizar o espaço, provém da NASA e do contribuinte americano, por meio das parcerias entre o governo e as empresas de exploração espacial privada de Musk.

Michael Bloomberg, uma das figuras centrais do capitalismo estadunidense e dono de uma fortuna de US$ 59 bilhões, foi prefeito de Nova York por dois mandatos, concorreu à presidência nas primárias do Partido Democrata e é um apoiador do presidente Joe Biden.

Donald Trump andou na linha tênue entre o poder político e o econômico entre os anos 90 e 2000, e, posteriormente, se tornou um dos maiores populistas do nosso século

O exemplo mais claro é o de Donald Trump, magnata da especulação imobiliária que se elegeu presidente dos Estados Unidos em 2016 e mantém seus apoiadores dentro do Congresso, com forte poder político para além do Partido Republicano dos EUA e que utilizou seu cargo como presidente da maior potência do mundo para enriquecer ainda mais.

No Brasil: Brasil tem recorde de 42 novos bilionários no mesmo 2021 de alta histórica da miséria

Entretanto, esses bilionários não são chamados de oligarcas, mas de “empresários de sucesso”, entre outros codinomes para tal patrimônio absurdo.

Na China, a situação é diferente. Existe um racha entre os bilionários pró-Pequim e pró-Ocidente. Jack Ma, um dos homens mais ricos do país asiático, dono do Aliexpress, está no segundo grupo e foi caçado pelo governo após declarações contra o Partido Comunista Chinês. Já o CEO da gigante dos games Tencent, Pony Ma Huateng, é um dos bilionários do primeiro grupo, com ligação íntima ao Partido Comunista e ao estamento político chinês.

Leia: China tem o segundo maior número de bilionários do mundo e enfrenta geração cansada do excesso de trabalho

Pony Ma se aliou ao governo chinês e tornou sua empresa de games um dos principais agentes de soft power chinês no planeta

Outro bom exemplo é Ren Zhengfei, CEO da Huawei, gigante de tecnologia chinesa que conta com apoio do Partido Comunista para dominar a tecnologia 5G em todo o planeta e cujos negócios já viraram entrave diplomático entre China e Canadá.

A relação entre Estados nacionais e os detentores do capital já era prevista por teóricos sociais desde o início do século XIX, como Karl Marx, que afirmava que o “Estado Moderno está a serviço da classe dominante”, ou seja, dos donos do poder econômico.

Lista da Forbes dos países com mais bilionários:

  1. EUA – 724 bilionários
  2. China – 698 bilionários
  3. Índia – 140 bilionários
  4. Alemanha – 136 bilionários
  5. Rússia – 117 bilionários
  6. Hong Kong – 71 bilionários
  7. Brasil – 65 bilionários
  8. Canadá – 64 bilionários
  9. Reino Unido – 56 bilionários
  10. Itália – 51 bilionários

Publicidade

Fotos: Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Canais Especiais Hypeness