Inspiração

Candidíase: o que é, quais as causas e como evitar

Roanna Azevedo - 18/03/2022 às 10:14

Muito comum no verão, a candidíase é uma infecção provocada pelo fungo Candida albicans que pode afetar as unhas, a corrente sanguínea, a garganta, a pele, a boca e principalmente a região genital, sobretudo a feminina. O motivo? A espécie que causa a inflamação habita a flora vaginal. Apesar de seus sintomas serem praticamente os mesmos, a doença se manifesta de formas diferentes em homens e mulheres.

Pesquisadora da USP cria chocolate com probióticos para combater câncer de cólon

O que causa a candidíase?

A candidíase é uma infecção provocada pelo fungo Candida albicans. Na vagina, esses microrganismos vivem na flora vaginal.

O fungo que ocasiona a candidíase, também chamada de monolíase, vive alojado no organismo sem causar nenhum dano, mas alguma situação de desequilíbrio pode fazer com que ele se prolifere descontroladamente e gere a infecção. A principal causa para o surgimento da doença é estar com o sistema imunológico debilitado. Por isso, ela costuma afetar pessoas que sofrem de HPV, AIDS, lúpus ou câncer.

O uso muito frequente de medicamentos antibióticos, corticoides, anticoncepcionais e imunossupressores também está associado à candidíase. A infecção ainda pode ser provocada por diabetes, gravidez, alergias, obesidade e alimentação rica em açúcar e farinha.

Mas não para por aí. Vestir roupas íntimas molhadas, apertadas e de tecido sintético, como biquínis e maiôs, por muito tempo cria o ambiente perfeito para a proliferação do fungo Candida albicans. Como é úmido e quente, o micro-organismo se sente à vontade para se multiplicar

Ginecologia feminista e alternativa empodera as mulheres com o autoconhecimento

É possível pegar candidíase de outra pessoa?

A candidíase não é considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST), mas pode ser passada através de relações sociais.

Sim. O contágio acontece por causa do contato com secreções originárias da área genital, da boca e da pele. Nesse caso, é importante lembrar que a candidíase não é considerada uma infecção sexualmente transmissível (IST), mas também pode ser transmitida de pessoa para pessoa por meio de relações sexuais.

Candidíase vaginal

É o tipo mais comum da doença. Caracteriza-se por uma infecção nos tecidos da abertura da vagina, desencadeada pela replicação do fungo Candida albicans após o enfraquecimento do sistema imunológico e, consequentemente, da flora vaginal.

Preenchimento da vagina: além de perigoso, procedimento estético reforça machismo

Candidíase no pênis ou balanopostite

É menos comum do que a candidíase vaginal, mas deve ser tratada com os mesmo graus de cuidado. Também ocorre em razão da alta proliferação do fungo, causada principalmente por doenças como diabetes e falta de higiene.

Candidíase na boca ou “sapinho”

O famoso sapinho é um tipo de candidíase.

O famoso sapinho é um tipo de candidíase adquirido por meio do contato, caso o sistema imunológico esteja enfraquecido. Ele acomete adultos, idosos e até mesmo crianças.

Hortelã melhora digestão e contribui para saúde bucal

Candidíase cutânea ou intertrigo candidiásico

Esse tipo de candidíase é causado pelo atrito entre a pele de partes específicas do corpo, o que gera pequenas lesões onde os fungos se proliferam. Ocorre geralmente na virilha, nas axilas, barriga, nádegas, pescoço, parte interna da coxa, entre os dedos e sob os seios.

A candidíase cutânea afeta lugares em que há muito atrito de pele.

Candidíase de esôfago

Também conhecida como esofagite, é a forma mais rara de candidíase. Ela afeta idosos, em sua maioria, e pessoas com baixa imunidade, como as que sofrem de AIDS ou algum tipo de câncer.

Candidíase invasiva ou disseminada

A candidíase invasiva é considerada um tipo de infecção hospitalar. Ela costuma afetar recém-nascidos que estão abaixo do peso e pacientes com a imunidade comprometida. O fungo que se prolifera, nesse caso, atinge a corrente sanguínea e acomete órgãos como o cérebro, os rins e os olhos. Pode causar complicações graves e até mesmo ser fatal.

Quais são os sintomas de candidíase?

Os principais sintomas gerais da candidíase são vermelhidão, coceira e ardor na área afetada. No tipo vaginal, é comum sentir dor durante as relações sexuais, desconforto ao urinar e ter corrimento esbranquiçado e espesso, parecido com nata de leite. Quando a infecção é no pênis, pequenas manchas ou lesões vermelhas podem aparecer, além de inchaço, odor, e, em casos mais graves, problemas respiratórios e gastrointestinais e dermatológicos.

Quem desenvolve candidíase na boca costuma ter dificuldade para engolir alimentos e sofrer com pequenas aftas e manchas brancas até mesmo na língua. Rachaduras no canto dos lábios também são comuns. Quando a doença afeta o esófago, a pessoa sente dor abdominal, no peito e ao engolir, além de náuseas, vômitos e perda de apetite.

Os principais sintomas gerais da candidíase são vermelhidão, coceira e ardor na área afetada.

A candidíase invasiva também provoca vômitos, mas eles são agravados por febre e dor de cabeça. As articulações tendem a ficar inflamadas e a urina se torna turva. Quando a infecção é na pele, os sintomas são externos. A área afetada costuma escurecer, descamando, liberando líquidos e formando crostas.

Um ponto de atenção: não é necessário sentir todos os sintomas para estar com candidíase.

Como curar a candidíase?

Na maioria dos casos, o tratamento da candidíase é feito com pomadas antifúngicas que devem ser aplicadas com determinada frequência. Se a infecção for mais proeminente, é possível que os médicos prescrevam um medicamento via oral para ser usado em conjunto.

Clitóris: o que é, onde fica e como funciona

O tratamento da candidíase costuma ser feito com uma combinação de pomada e remédio via oral.

Publicidade

Foto 1: KATERYNA KON/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images

Foto 2: Predrag Popovski/Getty Images

Fotos 3 e 5: Reprodução

Foto 4: DmitryPK/Getty Images

Foto 6: Mohamad Faizal Ramli / EyeEm/Getty Images


Roanna Azevedo
Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

Canais Especiais Hypeness