Ciência

Duas novas espécies de sapos transparentes são descobertas no Equador

Vitor Paiva - 29/03/2022 às 18:19 | Atualizada em 01/04/2022 às 10:25

Duas espécies de sapos transparentes foram recentemente descobertas à beira dos Andes, no Equador, a apenas 16 km de distância de Quito, capital do país.  Batizadas como Hyalinobatrachium mashpi e Hyalinobatrachium nouns, as novas espécies causaram espanto entre os pesquisadores por, apesar da semelhança entre os dois animais e de terem sido encontrados a somente 20 km de distância um do outro, geneticamente pertencerem a grupos diferentes entre as chamadas rãs-de-vidro. A região andina onde os animais foram descobertos é um dos pontos de maior diversidade de fauna do mundo, bem como uma das mais ameaçadas pela ação humana: descobertas em um vale por onde corre o rio Guayllabamba, as espécies se encontram sob perigo de extinção.

A barriga transparente do Hyalinobatrachium mashpi

A barriga transparente da espécie Hyalinobatrachium mashpi recém descoberta no Equador

-Cientistas descobrem espécie de sapo que se parece com o Caco dos Muppets

Ambos os anfíbios medem entre 1,9 a 2,1 centímetros e possuem corpos praticamente idênticos, com as costas verdes “estampadas” por pequenos pontos pretos e manchas amarelas e, na parte inferior do corpo, a barriga completamente transparente revelando seus órgãos – coração, fígado, sistema digestivo e, entre as fêmeas, a bolsa de ovos ficam expostos a olho nu. O animal da espécie Hyalinobatrachium mashpi vive entre as Reservas Mashpi e Tayra, dois oásis de floresta tropical na região, e o sapo Hyalinobatrachium nouns habita a parte norte do vale na Cordilheira de Toisan, um complexo de montanhas isoladas dos Andes.

A barriga transparente do Hyalinobatrachium mashpi

A parte superior das duas espécie é igualmente coberta por pontos pretos e manchas amarelas

-Descobriram uma nova espécie de rã na região amazônica ao norte do Peru

“No começo, quando começamos a coletá-los, pensamos que eram da mesma espécie. Ficamos surpresos ao saber que eles realmente apresentam grandes diferenças genéticas”, disse Juan Manuel Guayasamin, biólogo evolutivo da Universidad San Francisco de Quito e principal autor do artigo. Segundo Jaime Culebras, pesquisador da Andean Condor Foundation, coautor do estudo e autor das fotos que ilustram a descoberta, as espécies são um perfeito exemplo do que se chama de “diversidade críptica” quando as diferenças entre duas espécies não são visíveis a olho nu. Existem 156 espécies de rãs-de-vidro conhecidas, a grande maioria na região norte dos Andes e na América Central.

Hyalinobatrachium nouns

A parte superior de um Hyalinobatrachium nouns macho…

Hyalinobatrachium nouns

…e a barriga “de vidro” da mesma espécie

-Natureza tarada: sapos excitados tentam traçar cobra gigante; veja vídeo

A descoberta se deu após quase uma década de trabalho de Guayasamin e seus colegas na observação de anfíbios e coleta de DNA de rãs-de-vidro no Equador, e demonstra o quanto ainda há para se descobrir sobre a fauna do norte andino, especialmente entre as cadeias de montanhas e os vales fluviais isolados e preservados. “Muitos desses locais são incrivelmente remotos, que é uma das razões pelas quais conseguimos descobrir novas espécies”, explica Becca Brunner, uma das principais autoras do estudo, em comunicado. “Você é capaz de caminhar poucos quilômetros sobre um cume e encontrar uma comunidade de sapos diferente de quando começou”. A descoberta foi publicada na revista científica Peer J no dia 18 de março.

Hyalinobatrachium mashpi 

Macho da espécie Hyalinobatrachium mashpi protegendo seus ovos em uma folha

Publicidade

© fotos: Jaime Culebras


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness