Debate

Finlândia: país ‘pacífico’ e com fronteira gigantesca com a Rússia se prepara para a guerra desde 1945

Redação Hypeness - 30/03/2022 às 13:25 | Atualizada em 30/03/2022 às 13:35

Quando falamos sobre a Finlândia, usualmente pensamos em um país pacífico, como todos os nórdicos: uma nação sem desigualdade, com altas taxas de educação e boa saúde. Mas e se te disséssemos que desde que foi fundado, o país vive em um alerta constante para a guerra?

Leia: Cobertura da mídia sobre guerra na Ucrânia reforça preconceito de países desenvolvidos contra refugiados

Finlândia foi territória em disputa entre suecos e russos durante séculos e conquistou independência após revolução socialista; país enxerga o Kremlin como principal ameaça à sua integridade territorial

Com a invasão russa ao território da Ucrânia, a atenção se voltou às vizinhas Suécia e Finlândia. A justificativa russa para sua “operação especial” contra os ucranianos foi a aproximação do país à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), aliança militar liderada pelos EUA e pela Europa contra Moscou.

Suécia e Finlândia são nações politicamente mais próximas do Ocidente, com relativa aproximação da OTAN, e são inimigas históricas da Rússia. Toda a região da atual Finlândia já foi, inclusive, local de disputa nas guerras entre suecos e russos durante o período dos impérios de Pedro, o Grande e Catarina, a Grande.

História compartilhada

A Finlândia divide uma fronteira de 1,3 mil quilômetros com a Rússia e vive em pé de guerra com Moscou desde 1917, quando o povo Finn declarou independência do Kremlin depois da revolução socialista de outubro.

– Russofobia: origens históricas e sintomas contemporâneos de uma guerra contra um povo (e não contra seu presidente)

A independência foi o primeiro conflito entre a recém formada Finlândia e posteriormente o país entrou em guerra contra a Rússia durante a Segunda Guerra Mundial. Vale lembrar que o governo finlandês colaborou com os nazistas durante o conflito e utilizou apoio da SS e da Gestapo para reconquistar territórios tomados pelo Exército Vermelho no teatro de guerra. Os finlandeses perderam o território da Carélia e desde então vivem em alerta para uma possível expansão russa a Oeste.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, o país se reforça militarmente para um eventual conflito com a Rússia. Após Moscou se tornar uma potência nuclear, em 1949, a Finlândia se reforça. Cerca de 1/3 de sua população é reservista do Exército.

Além disso, Helsínque – a capital do país – e outras grandes cidades finlandesas possuem uma extensa infraestrutura subterrânea com bancos de alimento, lojas, infraestruturas de segurança e muitos bunkers para o caso de um ataque nuclear russo.

País tem feito exercícios militares na fronteira e afirma estar preparado para uma eventual guerra contra a Rússia; Moscou já alertou finlandeses para que não tentem ingressas na Organização do Tratado do Atlântico Norte

“Preparamos nossa sociedade e treinamos para situações assim desde a Segunda Guerra”, disse a ministra finlandesa dos Assuntos Europeus, Tytti Tuppurainen. “[Uma ameaça de guerra] Não nos pegará de surpresa”.

– Como a letra Z virou símbolo pró-Rússia na guerra e usado até em uniforme de ginasta

A Rússia já afirmou que um possível ingresso da Finlândia à OTAN seria vista como uma declaração de guerra contra Moscou e o país não economizaria esforços para evitar esse processo.

Publicidade

Fotos: Santeri Viinamäki


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness