Debate

Globo demite diretor de novela das seis acusado de racismo

Redação Hypeness - 15/03/2022 às 13:37 | Atualizada em 16/03/2022 às 17:01

A Globo demitiu o diretor Vinicius Coimbra, acusado de racismo durante as gravações da novela ‘Nos Tempos do Imperador’. De acordo com denúncias de atrizes negras, Coimbra – que ocupava o cargo de diretor artístico -, promovia segregação entre atores negros e atores brancos nos bastidores da obra.

O diretor disse ao Notícias na TV que sua demissão não foi por causa de racismo: “Fui comunicado de meu desligamento da Globo por assédio moral”, declarou ele. A Globo, no entanto, utilizou a frase “preconceito racial” em comunicado à imprensa sobre o desligamento de Vinicius Coimbra. Leia a íntegra ao final da reportagem.

– Coautor de ‘Babilônia’ acusa diretoria da Globo de racismo: ‘Não aceitei fazer essa nojeira’

Vinicius Coimbra

Vinicius Coimbra foi demitido por tratamento racista contra atores negros em set da Globo

As denúncias foram lideradas pelas atrizes Cinnara Leal, Dani Ornellas e Roberta Rodrigues. O material recebido pelo compliance da Globo relata falas racistas de Coimbra e sua equipe, além de segregação no set de filmagens, separando camarins de atores e atrizes pela cor da pele.

“Fiz uma participação nessa novela, meu personagem estava descrito como escravo 1 e ele me chamou de escravo pedindo pra eu me posicionar. A assistente de direção no microfone falou assim: o nome dele é Ricardo e ele nem sequer se redimiu. Na hora foi um choque porque fiquei um pouco constrangido”, contou o ator Ricardo Lopes no Instagram.

Entenda as denúncias: Globo afasta diretor acusado de racismo e de segregar atores negros e brancos no set

Globo responde 

A Globo afirmou que não vai se pronunciar oficialmente sobre o assunto, mas respondeu ao questionamento do Hypeness sobre a demissão de Vinicius Coimbra.

“A Globo reitera que não expõe apurações de relatos recebidos por sua ouvidoria, em razão do sigilo garantido a todos os colaboradores em seu código de ética e que, por isso, não vai se manifestar sobre o assunto.

Preconceito racial é uma prática não tolerada pela Globo. A fim de manter seu ambiente corporativo livre de discriminação, a empresa conta com um sistema de compliance atuante, com treinamentos de conscientização frequentes de seus colaboradores e um código de ética que proíbe a discriminação e pune severamente as violações apuradas.

Mas reconhecemos que, como ocorre em todos os segmentos da sociedade, há muito a avançar no caminho da diversidade, para além das rigorosas regras de compliance que praticamos no nosso dia a dia a esse respeito. Em relação à novela ‘Nos Tempos do Imperador’, a empresa acredita que poderia ter adotado precauções extras para abordar a temática racial, nas diversas dimensões que a produção exigia. Nesse sentido, foram identificadas oportunidades de aperfeiçoar nossos processos internos para tratar adequadamente esta e outras temáticas sensíveis, garantindo que sua abordagem contribua para o avanço no caminho da diversidade, preservando a sensibilidade do público e de nossos colaboradores.

Este processo contínuo em busca de oportunidades de melhoria é possível em virtude da crença da Globo no permanente diálogo e na criação de mecanismos para intensificá-lo, especialmente com seus colaboradores, que desde o ano passado estão engajados em treinamentos específicos sobre Diversidade e Inclusão e em grupos de afinidades de mulheres, negros e negras, LGBTQIA+ e pessoas com deficiência para a promoção de ambientes cada vez mais inclusivos e representativos. Através de iniciativas como essas, conduzidas pela área de Diversidade e Inclusão, criada em 2020, e que fazem parte da ampla política de diversidade da empresa, a Globo avança e aperfeiçoa seus processos internos, atenta sempre para as legítimas demandas que se apresentam, sem perder o foco nos princípios que constituem a sua essência.”

– Novela da Globo cria polêmica com estupro após acusações de machismo, racismo e lesbofobia 

Quem é Vinicius Coimbra?

Vinicius Coimbra não é apenas um nome da televisão. O diretor foi assistente de direção em ‘Central do Brasil’ (1998) e também dirigiu ‘A Floresta Que Se Move’ (2016) e ‘A Hora e a Vez de Augusto Matraga’ (2015). Em entrevista ao Notícias da TV, o profissional demitido por racismo tentou se defender.

“Nas últimas semanas, muito foi dito a meu respeito. Por isso, agradeço àqueles que prezaram por uma apuração responsável dos fatos, sem atribuir a mim atitudes que não condizem com a minha índole ou que não são da minha competência”, disse o diretor ao Notícias da TV.

“Como homem branco, porém, reconheço minha responsabilidade por atitudes que reproduzem privilégios. Eu sinceramente não gostaria que isso tivesse acontecido e estou empenhado para que não se repita. Desculpei-me à época e me desculpo novamente. Reafirmo meu profundo respeito pelo elenco da novela. Quero poder contribuir para juntos repararmos esta situação e construirmos um futuro melhor”, completa.

Publicidade

Fotos: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness