Debate

Homem é preso acusado de contrabandear mais de 1.700 répteis para os EUA

Vitor Paiva - 29/03/2022 às 08:44

A Justiça dos EUA desmontou um grande esquema de tráfico de animais depois que um homem foi preso tentando cruzar a fronteira do México para o país carregando dezenas de répteis escondidos em sua roupa. Jose Manuel Perez, de 30 anos, seria responsável por contrabandear mais de 1700 répteis para os EUA no total, e foi preso no dia 25 de fevereiro com cerca de 60 animais presos em sacos plásticos dentro dos bolsos de sua jaqueta e de sua calça, e atados às pernas e na região da virilha: para os oficiais da alfândega, Perez declarou que os répteis que carregava sob suas roupas eram apenas “animais de estimação”.

Os animais encontrados em sacos sob a roupa de Perez na fronteira dos EUA com o México

Os animais encontrados em sacos sob a roupa de Perez na fronteira dos EUA com o México

-Traficante picado por naja contrabandeava há 3 anos e cobrava R$ 500 por filhote

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, Perez enfrenta duas acusações de tráfico de animais selvagens, nove acusações de contrabando de mercadorias para o país e ainda uma acusação de conspiração por transportar animais para serem revendidos em mercado ilegal. Sua irmã, Stephanie Perez, de 25 anos, também foi acusada de conspiração: segundo a acusação, os dois usavam as redes sociais para comprar, vender e organizar a entrega dos animais, em esquema realizado entre janeiro de 2016 e fevereiro de 2022.

Nas redes, segundo a Justiça, o homem usava o nome de Julio Rodriguez para vender os animais

Nas redes, segundo a Justiça, o homem usava o nome de Julio Rodriguez para vender os animais

-Polícia encontra tapetes de onça e cobras em apartamento na zona sul do Rio

“Os réus supostamente anunciaram a venda nas redes sociais dos animais contrabandeados do México para os Estados Unidos, postando fotos e vídeos que mostravam os animais sendo capturados na natureza”, afirmou o procurador dos EUA para o Distrito Central da Califórnia, em comunicado. Segundo a acusação, os répteis transportados – entre outros, lagartos mexicanos, filhotes de crocodilo, tartarugas de Yucatan e tartarugas mexicanas – foram recebidos por participantes do esquema no aeroporto de Ciudad Juarez, no México, e enviados de carro para a cidade de El Paso.

As redes sociais eram usadas para ofertar, vender e distribuir os animais nos EUA

As redes sociais eram usadas para ofertar e distribuir os animais nos EUA

-2,6 mil voluntários se unem para fazer da fronteira México-EUA o maior mural do mundo

Perez foi preso ao lado de outro indivíduo com quem, segundo a acusação, viajou diversas vezes para trazerem mais animais do México aos EUA: depois que cruzavam a fronteira, os répteis eram escondidos na casa de Perez, em Ventura, na Califórnia, para de lá serem vendidos e enviados para todo o país. Além das espécies mexicanas, segundo a justiça dos EUA, animais também eram importados de forma ilegal de Hong Kong para serem revendidos. Perez pode ser condenado a até 20 anos de prisão por cada acusação de contrabando, e 5 anos por cada acusação de conspiração e tráfico de vida selvagem, e sua irmã pode pegar um máximo de 5 anos por conspiração.

Filhote de crocodilo, uma das espécies capturadas com o contrabandista pela polícia

Filhote de crocodilo, uma das espécies capturadas com o contrabandista pela polícia

Publicidade

© fotos 1, 2, 3: U.S. attorney’s office for the Central District of California

© foto 4: Florida Fish and Wildlife/Fickr/CC


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness