Ciência

Maioria das mães embala bebês à esquerda e isso pode ter origem evolutiva profunda

Roanna Azevedo - 11/03/2022 às 10:28 | Atualizada em 15/03/2022 às 10:54

Uma pesquisa realizada pela Saint Petersburg State University constatou que um hábito aparentemente pessoal, na verdade, esconde uma explicação evolutiva por trás. O estudo argumenta que a tendência das mães embalarem seus bebês do lado esquerdo durante os primeiros meses de vida não tem a ver com ser destra ou canhota, mas sim um comportamento instintivo da grande maioria dos mamíferos.

Alguns poluentes estão influenciando o sexo biológico dos bebês, aponta pesquisa

Segurar seus filhotes do lado esquerdo do corpo é um comportamento de origem primitiva da maioria dos mamíferos.

De acordo com o artigo publicado na revista Nature, 11 espécies diferentes da subclasse foram testadas. Durante os experimentos, os pesquisadores observaram que os filhotes preferiam se agarrar à esquerda de suas mães. Mas qual seria a justificativa para isso? Estimular o lado direito do cérebro: a resposta parece confusa, mas é simples de entender.

Soluço em bebês está ligado ao desenvolvimento do cérebro, aponta estudo

O estudo explica que, quando uma mãe segura o bebê do lado esquerdo, mantendo-o cara a cara, os olhos esquerdos de ambos estabelecem contato visual direto. Isso significa que o que eles enxergam no momento é processado pelo hemisfério direito do cérebro, aquele responsável pela atenção, memória, processamento espacial, interações sociais e, sobretudo, reconhecimento facial.

O lado direito do cérebro (“right brain”, na imagem) é responsável pelos processos de criatividade, imaginação e empatia.

Segundo o Dr. Yegor Malashichev, co-autor da pesquisa, como esse comportamento não foi observado apenas nos humanos, ficou concluído que é “uma característica generalizada de mamíferos de origem evolutiva antiga”. Além dos primatas, outros animais conhecidos por embalarem seus filhotes do lado esquerdo são as morsas e os cangurus.

Atlas detalhado do cérebro dos mamíferos é resultado da junção de 17 estudos

Publicidade

Foto 1: Sarah Chai/Pexels

Foto 2: cienpies/Getty Images


Roanna Azevedo
Diretamente da zona norte do Rio, é jornalista por profissão e curiosa por conta própria. Ama escrever sobre cinema e o universo do entretenimento há mais de dois anos. Tem paixão por tudo que envolve cultura, música, arte e comportamento, além de ficar sempre ligada no que rola no mundinho da comunicação nas redes sociais.

Canais Especiais Hypeness