Arte

O desenhista hiper-realista nigeriano que ‘fotografa’ com carvão; e que viralizou ao retratar um comediante

Vitor Paiva - 11/03/2022 às 15:00 | Atualizada em 28/03/2022 às 10:42

O nigeriano Eli Waduba não lembra de nenhum momento de sua vida, mesmo retornando às mais remotas lembranças de infância, em que não estivesse desenhando, pintando ou criando – em que não fosse um artista.

Tendo começado a desenhar aos oito anos de idade e desde então buscando aprimorar o estilo hiper-realista que define seus impressionantes e grandiosos desenhos, seu trabalho se aperfeiçoou de tal forma ao longo dos anos que hoje podem ser vistos quase como fotografias: no lugar de lentes e do controle da entrada da luz, porém, Waduba trabalha com carvão para registrar perfeitamente a realidade e as pessoas ao seu redor. “Através da arte, eu sou capaz de criar um mundo que compete com a câmera e espanta as pessoas”, ele diz.

Leia também: Yemi Davis: quem é o artista nigeriano que está utilizando o NFT para protestar contra injustiça e violências

Eli Waduba trabalhando no retrato de Kevin Hart

Eli Waduba trabalhando no retrato do comediante estadunidense Kevin Hart

-Desenhos hiper realistas feitos com caneta esferográfica que mais parecem fotografias

Carvão, caneta, grafite e lápis 

Apesar de trabalhar principalmente com carvão, o artista eventualmente também incorpora outros instrumentos de desenho, como canetas, grafite e lápis, para realizar seu trabalho.

Nascido no estado de Kaduna, ao norte da Nigéria, e originário do povo Gbagyi ou Guaris, em português, Waduba atualmente vive no vilarejo de Gonin Gora, e realiza principalmente retratos em larga escala, interessado especialmente na forma como a luz e as sombras incidem sobre a pele – segundo seu site, apesar de enfrentar situações de violência, turbulência econômica e religiosamente regularmente em sua realidade e país, o artista mantem sua fé e sua dedicação intocadas.

Leia também: Conheça Maria Prymachenko, a mulher que foi a heroína da arte popular da Ucrânia 

Eli Waduba

O artista trabalhando em um de seus retratos

O trabalho finalizado - com a modelo ao lado

O trabalho finalizado – com a modelo ao lado

-Isto não é uma fotografia: artista usa carvão e desafia nossa percepção

“Eu amo o fazer artístico porque me oferece um sentimento de realização ao criar algo que é capaz de maravilhar e inspirar outras pessoas. Meu desejo é alcançar meu máximo potencial enquanto glorifico a Deus em tudo que faço – pois ele me fornece a força e a esperança para persistir em busca de meus sonhos”, diz Waduba, que se identifica como cristão.

“Meu sonho é acender a chama nas outras pessoas, as encorajando e as influenciando a se tornarem a melhor e mais verdadeira versão delas mesmas”, afirma. Curiosamente, a popularidade de que hoje o jovem artista nigeriano goza se expandiu consideravelmente após um tweet – para o comediante estadunidense Kevin Hart.

Eli Waduba

Um de seus incríveis retratos, ainda em processo

Eli Waduba junto ao retrato finalizado

Eli Waduba junto ao retrato finalizado

Yemi Davis: artista nigeriano utiliza NFT para protestar contra injustiças e violências

A comunicação entre Waduba e Hart aconteceu em 2019, através da qual o artista compartilhou um incrível retrato que havia feito do comediante, e se apresentou. Para seu espanto, Hart não somente respondeu, como se comprometeu a comprar o retrato e ainda comissionar outros três novos quadros por encomenda – e rapidamente Waduba alcançou milhares de seguidores nas redes.

De lá para cá, o artista segue criando retratos, de famosos e desconhecidos, mas todos com a capacidade de emocionar e espantar quem vê – e de confundir o espectador entre uma fotografia ou um desenho, uma representação ou a realidade.

O desenho de Kevin Hart, que trouxe fama para o artista na internet

O desenho de Kevin Hart, que trouxe fama para o artista na internet

"Foto" em carvão: o retrato da atriz estadunidense Tiffany Haddish

“Foto” em carvão: o retrato da atriz estadunidense Tiffany Haddish

Publicidade

© fotos: Eli Waduba/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness