Viagem

Rokumon, o trem japonês que na verdade é um restaurante de luxo

Vitor Paiva - 25/03/2022 às 09:31

Se. para a maioria, um jantar em um restaurante japonês de qualidade é a perfeita definição de uma noite de luxo e deleite gastronômico, o trem japonês Rokumon eleva aos céus a experiência ao incluir o imenso prazer de viajar: mais do que oferecer um cardápio delicioso ao longo do trajeto entre as cidades de Nagano e Karuizawa, o trem é um restaurante por inteiro, movendo-se sobre o trilho e oferecendo o melhor da culinária local. Por duas horas e meia, o viajante pode sentar-se em mesas coletivas, assentos individuais ou mesmo cabines fechadas, perfeitamente decoradas tal qual um estabelecimento típico, para apreciar a paisagem em movimento ao ritmo do mastigar dos pratos que formam o kaiseki, verdadeiro banquete formado por pratos variados, servido aos passageiros durante a viagem.

o trem japonês Rokumon

o trem japonês Rokumon viaja de Nagano a Karuizawa

-McTrem: ascensão e queda do ambicioso plano do McDonald’s para conquistar as ferrovias

A viagem acontece na linha férrea de Shinano, da prefeitura de Nagano, e os pratos são preparados por chefs dos melhores restaurantes locais, servindo ingredientes de alta qualidade e originários da região. O deleite, porém, começa antes mesmo de se embarcar, já que o trem, com seu tom de vermelho e seu estilo antigo, oferece uma ambiência especial, que é reiterada pela decoração chique e vintage que marca cada vagão, com mesas elegantemente postas, aguardando para receber os viajantes no restaurante que se move – em um trem-bala, a viagem duraria somente 25 minutos, mas no caso do Rokumon ela é especialmente alongada para permitir a apreciação gastronômica sem pressa e com a devida atenção.

Os vagões oferecem diversas opções de lugares para viajar - e jantar durante a viagem

Os vagões oferecem diversas opções de lugares para viajar – e jantar durante a viagem

O trem também oferece espaço para as crianças brincarem

O trem também oferece espaço para as crianças brincarem

-Wes Anderson decora vagão de trem no Reino Unido feito fosse o cenário de um de seus filmes

Quem não tiver a disposição de encarar o banquete do kaiseki, pode escolher por pratos individuais. As opções de cardápio e espaços são muitas, mas experiência mais interessante no Rokumon parece ser mesmo viajar em um espaço privado, isolado por portas com painéis de papel no tradicional estilo shoji, que podem ser mantidas abertas ou devidamente fechadas para tornar a viagem em um evento ainda mais especial, complementado pelo serviço luxuoso de uma equipe servindo a comida e a bebida, bem como informando sobre os pratos e as combinações de sabores: a escolha do tipo de cardápio é feita na compra da passagem, antes da viagem.

Corredor de portas de papel no tradicional estilo shoji isolam algumas cabines

Corredor de portas de papel no tradicional estilo shoji isolam algumas cabines no trem

Dentro, as cabines isoladas tornam a experiência ainda mais singular

Dentro, as cabines isoladas tornam a experiência da viagem – e do jantar – ainda mais singular

-Tecnologia e fofura: viaje pelo Japão no trem-bala da Hello Kitty

Assim, o passageiro ou passageira é recebida por um drinque de boas-vindas, com a comida em preparo para ser devidamente servida. O cardápio japonês é formado por diversas opções de peixes, carnes e vegetais, apresentado em elegantes caixas por um serviço que se assemelha ao de uma primeira classe em um avião, mas com mais opções e maior quantidade. Segundo consta, o preço da viagem – que inclui, é claro, a alimentação – pode flutuar a cada estação e de acordo com o cardápio escolhido, mas o custo de um banquete keiseki é um média de 14,800 ienes, equivalentes a cerca de 590 reais. Ao fim da viagem, cada passageiro ganha café para celebrar a chegada na estação de Karuizawa.

A opção kaiseki do cardápio oferece um verdadeiro banquete em duas horas e meia de viagem

A opção kaiseki do cardápio oferece um verdadeiro banquete em duas horas e meia de viagem

kaiseki

A comida kaiseki reúne peixe, carne e vegetais diversos

Publicidade

© fotos: Soranews24/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness