Reverb

Taylor Hawkins: relembre outros músicos que morreram em turnês pelo mundo

Redação Hypeness - 28/03/2022 às 16:12 | Atualizada em 28/03/2022 às 17:05

O mundo ficou chocado com a morte de Taylor Hawkins, baterista do Foo Fighters que faleceu em um hotel em Bogotá, na Colômbia. O ritmista da banda que tocaria no Brasil se soma a lista de cantores que morreram durante turnês pelo mundo.

Decidimos lembrar aqui algumas das trágicas mortes que ocorreram no mundo da música durante viagens. Entre brasileiros e artistas internacionais, memoramos aqui a vida e o legado desses artistas incríveis que nos deixaram durante suas turnês.

1. Taylor Hawkins

Taylor Hawkins deixa memória e legado de alegria e felicidade dentro dos palcos

Taylor Hawkins faleceu na sexta-feira (25), após combinar um coquetel de drogas que envolvia álcool, antidepressivos, ansiolíticos e opiáceos em um hotel em Bogotá, na Colômbia. Ele integrou os Foo Fighters desde o primeiro disco da banda, “The Colour And The Shape”, e era conhecido por seu estilo anímico e bem-humorado durante as performances da banda de rock.

E para sua memória, um raro vídeo de Taylor cantando! Nessa gravação, ele interpreta “Rock N Roll”, do Led Zeppelin, junto de Jimmy Page e John Paul Jones durante o icônico show do Foo Fighters em Wembley:

2. “O Dia Em Que A Música Morreu”

A morte de Buddy Holly e Ritchie Valens foi um dos momentos mais trágicos da história do rock

“O dia em que a música morreu” é o nome dado ao acidente de avião que matou Buddy Holly, Ritchie Valens e J.P. “The Big Bopper” Richardson.

– Mulheres no rock: elas gritaram mais alto que o rock É SIM coisa de mulher

Em 3 de fevereiro de 1959, eles viajavam para se apresentar na The Winter Dance Party. Buddy Holly era um dos principais nomes do rock ‘n’ roll emergente na época. Ritchie Valens é o compositor e intérprete da canção “La Bamba”, um hit em todo o planeta terra. O  acidente foi uma das primeiras tragédias de alcance mundial envolvendo artistas e ficou imortalizado na canção “American Pie”, de Don McLean:

3. Chet Baker

Chet Baker era conhecido por seu estilo único na hora de tocar seu trompete

Chet Baker é um dos principais nomes da história do jazz. O cantor e trompetista conhecido por clássicos da música como “I Get Along Without You Very Well” e “My Funny Valentine” tinha um renomado estilo íntimo e uma embocadura única por conta de seus dentes quebrados, que faziam seu trompete ter um timbre único.

Em 1988, Chet fazia um turnê em Amsterdam, na Holanda. Baker usou cocaína e heroína e acabou caindo de uma varanda no seu hotel e faleceu, deixando um legado enorme para a história do jazz.

4. Otis Redding

Otis Redding foi uma das figuras mais importantes da história do Soul

Otis Redding era a voz definidora do soul e do rock nos anos 60. Ele transformou o som extremamente romântico com a força motriz de um timbre incrível. Reunindo as influências do gospel com o que havia de mais novo acontecendo nos estúdios. Redding foi dono de clássicos como “I Can’t Get No (Satisfaction)”, cover dos Rolling Stones, “Try A Little Tenderness” e “Sittin On The Dock of The Bay”.

Em dezembro de 1967, o avião que o carregava para fazer apresentações em Wisconsin, nos Estados Unidos. Ottis Redding tinha apenas 26 anos de idade. O ano de sua morte ficou marcado por participação do músico no “Monterey Pop”, considerado o pai de todos os grandes festivais (inclusive do Woodstock). Redding fez uma das apresentações mais marcantes da história do soul:

5. Mamonas Assassinas

Mamonas foram a grande banda do humor brasileiro e morte trágica é sentida até hoje

Em 2 de março de 1996, os Mamonas Assassinas faleceram em uma das tragédias aéreas mais conhecidas da história do Brasil. A banda, que estourava e dominava as rádios e televisões do país, morreu após o Learjet 25D prefixo PT-LSD cair na Serra da Cantareira, em São Paulo.

O Mamonas Assassinas estava em avião com destino ao aeroporto de Brasília e de lá iria para Portugal. Seria a primeira apresentação internacional da banda, mas o sonho foi interrompido naquele dia.

Confira um vídeo dos Mamonas se apresentando no programa do Faustão, em 1995:

6. Marília Mendonça

Marília Mendonça marcou uma revolução com as mulheres no sertanejo

No ano passado, o Brasil chorou com a morte de Marília Mendonça, a rainha do sertanejo.

Ela faleceu após uma pane em seu avião que ia em direção a Caratinga (MG), onde a cantora e rainha da sofrência faria uma apresentação na noite de sexta-feira, 5 de novembro. Por volta das 16h30, a aeronave de Marília caiu e o Brasil perdeu o maior nome do feminejo no país. Marília tinha apenas 26 anos:

Leia: Marília Mendonça: fã de uísque e sempre acompanhada da mãe, diz dono de bar onde cantora deu primeiros passos

Publicidade

Fotos: Fotos 1, 2, 3, 4: © Getty Images Fotos 5 e 6: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness

Especiais