Ciência

Telescópio Hubble, da Nasa, localiza estrela mais distante já vista e que está há 12 bilhões de anos-luz

Yuri Ferreira - 31/03/2022 às 15:52 | Atualizada em 31/03/2022 às 15:58

Na última quarta-feira (30), um estudo publicado na revista Natura mostrou que o telescópio Hubble descobriu a estrela mais distante de todos os tempos.

De acordo com os astrônomos que estão observando as imagens do equipamento, o astro está localizado a 12,9 bilhões de anos-luz do nosso planeta. O objeto ganhou o nome de Earendel.

– A piscina sagrada que se alinhava com as estrelas há 2,5 mil de anos

Earendel está há quase 13 bilhões de anos luz e se torna a mais distante estrela observada na pela humanidade na escola

Os pesquisadores explicaram que a estrela surgiu no primeiro bilhão de anos após o nascimento do universo, que tem cerca de 14 bilhões de anos, no Big Bang. E, segundo os pesquisadores, é um dos poucos astros que foram formados durante esse período.

– Cientistas descobrem novo planeta orbitando estrela mais próxima do Sol

“Normalmente, a essas distâncias, galáxias inteiras parecem pequenas manchas com luz de milhões de estrelas se misturando. A galáxia que hospeda esta estrela foi ampliada e distorcida por lentes gravitacionais em um longo crescente que chamamos de Arco do Nascer do Sol”, explica conta Brian Welch, o principal autor do estudo, em comunicado emitido pela NASA.

Foi justamente por conta disso que Welch escolheu o nome do astro: Earandel significa ‘aurora’ em inglês arcaico. Mas apesar do doce nome, a estrela é provavelmente 50 vezes maior do que o Sol e milhões de vezes mais brilhante.

“Com Webb, podemos ver estrelas ainda mais distantes do que Earendel, o que seria incrivelmente emocionante. Nós iremos o mais longe que pudermos. Eu adoraria ver Webb quebrar o recorde de distância de Earendel”, explica Welch.

– Astrônomos podem ter localizado o primeiro exoplaneta conhecido em outra galáxia

Agora, os pesquisadores aguardam por imagens de Earandel oriundas do telescópio James Webb, o “substituto do Hubble” que produzirá imagens em infra-vermelho das estrelas e poderá nos contar mais sobre o novo-antigo astro.

Publicidade

Foto: NASA, ESA, B. Welch (JHU), D. Coe (STScI), A. Pagan (STScI)


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Canais Especiais Hypeness