Ciência

A doença rara que fez com que menina de 4 anos voltasse a agir como um recém-nascido

Vitor Paiva - 13/04/2022 às 17:19

A pequena Lexie Forsyth, de 4 anos, vivia o desenvolvimento normal de uma criança de sua idade até que, alguns meses atrás, passou a regredir e se comportar novamente como um bebê recém-nascido, por conta de uma rara doença. Após uma série de incidentes em que apresentou quadro de convulsões e vômitos, a menina, que vive em Inversness, na Escócia, entrou em coma por 7 dias. Após dois meses de tratamentos, o diagnóstico concluiu que Lexie sofre com encefalomielite disseminada aguda (ADEM, na sigla em inglês), uma inflamação incomum no cérebro que afeta o sistema nervoso central. A partir de então, as conquistas naturais do crescimento, como sentar, andar, ir ao banheiro e se alimentar sozinha regrediram quase inteiramente.

A pequena Lexie junto de sua mãe, Emilia Blanaru

Lexie junto de sua mãe, Emilia Blanaru

-Ministério da Saúde terá que dar remédio mais caro do mundo à criança com doença degenerativa

Após lutar pela própria vida, Lexie passou a ter de aprender tudo novamente. “Como um bebê, ela teve que aprender tudo desde o início novamente. Tivemos que ajudá-la a se levantar, ela não conseguia andar, sentar ou se alimentar. Tivemos que colocar fraldas nela novamente. Mas ela nunca desistiu”, revelou Emilia Blanaru, mãe de Lexi. “Os médicos explicaram que o corpo dela estava lutando contra o vírus e acidentalmente atacou seu cérebro”, explicou o pai, Mark Forsyth. A situação obrigou a pequena a permanecer 117 dias internada, praticando fisioterapia e fonoaudiologia, entre outros tratamentos, a fim de combater o quadro: a ADEM pode causar até mesmo paralisia.

A menina se dedica com todo foco e força à sua recuperação

A menina se dedica com todo foco e força à sua recuperação

-Recém-nascida sorri ao reconhecer voz do pai e foto viraliza

Apesar do tanto que enfrentou, os pais confirmam que Lexie se dedica de forma tocante e incansável para reconquistar suas capacidades motoras e de comunicação – e cada conquista, após a longa internação, é uma imensa vitória. Ela ainda se desloca utilizando cadeira de rodas para maiores distâncias, mas surpreendeu a todos, incluindo a equipe médica, ao conseguir percorrer os 10 minutos de caminhada até sua escola sem suporte: os pais temiam que ela nunca mais conseguisse caminhar, ou reconquistasse minimamente sua autonomia. “Antes, ela estava sempre dançando e correndo, e agora aos poucos ela está voltando a ser a Lexie”, revelou a mãe.

Lexie com seu prêmio

Lexie com seu prêmio de Criança Corajosa do Ano

-Quanto mais você abraça seus filhos mais o cérebro deles se desenvolve, aponta estudo

Sua força e capacidade de superação fizeram com que a cidade premiasse Lexie, em cerimônia pública, como Criança Corajosa do Ano, em nomeação dada à menina pela avó. As melhorias, somadas à coragem da criança, vêm trazendo esperanças à família, mesmo que os especialistas ainda não saibam prever se ela conseguirá uma recuperação completa, muito menos em quanto tempo isso poderá ocorrer. Segundo Emilia, sua filha ainda precisa de apoios ao dançar pela casa, mas ela tem certeza que ela voltará a ser como era. Temos que esperar para ver. Mas sei que ela é teimosa e nunca desiste”, afirmou a mãe. “Ela vai chegar lá”.

A família vem celebrando diversas conquistas na recuperação da pequena

A família vem celebrando diversas conquistas na recuperação da pequena

Publicidade

© fotos 1, 4: Daily Mirror/reprodução

© fotos 2, 3: Arquivo Pessoal


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness