Ciência

Amostras retiradas direto do espaço da superfície de asteroide dão pistas sobre origem de vida na Terra

Redação Hypeness - 19/04/2022 às 14:42

A Agência Japonesa de Exploração Espacial (JAXA) coletou em dezembro de 2020 amostras do asteroide 162173 Ryugu através da sonda Hayabusa 2. Agora, após um ano e meio de análise do material, os cientistas do Japão pode apresentar caminhos importantes para a descoberta da origem da vida.

Asteroide confirma teoria que chegou mais próxima da origem da vida em laboratório

O feito da Jaxa é uma conquista para exploração espacial, mostrando que a humanidade tem capacidade de coletar informações sobre objetos que estão voando pelo universo com segurança.

O entusiasmo é justamente porque ao coletar informações de asteroides que não passaram da atmosfera, é possível entender melhor que tipo de substâncias eles carregam.

E a pesquisa mostrou que de fato existem informações interessantes oriundas do asteroide Ryugu, no caso, os aminoácidos que ele carregava.

– Fóssil de 1 bilhão de anos esconde resposta sobre evolução dos animais

Existem diversas teorias sobre a origem da vida na terra e uma delas afirma que aminoácidos oriundos de asteroides se desenvolveram na água e geraram as primeiras células de vida no planeta.

“As amostras analisadas do asteroide Ryugu contêm cerca de 3,7% de carbono. A maior parte encontra-se na forma de material não muito diferente do carvão, mas elas também contêm carbono na forma de moléculas orgânicas que, com a ação da água, liberam aminoácidos. Entre elas, foram identificadas a glicina, alanina, beta-alanina e alfa-aminobutirato”, explica César Menor-Salván é professor-doutor em bioquímica e astrobiologia do Departamento de Biologia de Sistemas da Universidade de Alcalá, na Espanha, em texto ao site The Conversation.

– Cientistas usam 3D e revelam imagens detalhadas sobre vidas mais antigas da Terra

“O cientista norte-americano Stanley Miller identificou glicina, alanina, beta-alanina e alfa-aminobutirato na mistura orgânica obtida no seu célebre experimento de 1953. O asteroide Ryugu nos conta que os esforços realizados em um século de química prebiótica fazem sentido. Ele mostra que, no laboratório, podemos prever a química dos objetos celestes. Pouco a pouco, vamos nos aproximando da formulação de uma teoria da evolução química, que formará o primeiro (ou talvez o último) capítulo dos livros de bioquímica”, completa.

Publicidade

Fotos: Reprodução/JAXA


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness