Gastronomia

Bebidas destiladas sem álcool viram tendência em bares pelo mundo

Gabriela Rassy - 04/04/2022 às 10:35 | Atualizada em 06/04/2022 às 10:49

O consumo de bebidas alcoólicas teve um boom durante a pandemia, mas se antes da crise global já existiam movimentos como o “Janeiro Seco”, que propõe um mês sem o consumo de álcool, agora a tendência dos mocktails, coquetéis livre de destilados alcoólicos está de volta aos bares do mundo.

O espaço para as bebidas sóbrias vem se expandindo lentamente há anos. Mas, pela primeira vez, devido a uma combinação de alta demanda de consumidores preocupados com a saúde, 2022 deve ser o ano em que será fácil encontrar coquetéis não-alcoólicos nos menus de bares e restaurantes.

De acordo com a especialista em tendências da Instacart e consultora de tendências de bem-estar da Well+Good, Laurentia Romaniuk, as vendas de bebidas não-alcoólicas tiveram aumento de 37% em 2021, em comparação com o ano anterior.

Tendência Não-Acoólica

“Vimos um aumento significativo nas compras de opções não alcoólicas ou com baixo teor alcoólico em adultos categorias de bebidas e continuamos a ver a tendência de os consumidores simplesmente beberem menos”, diz Mary Guiver, comerciante sênior global de cerveja e destilados da Whole Foods Market em reportagem do site Well and Good.

Os consultores da Well+Good Wellness Trends e os fundadores do Eat Well Exchange, Ashley Carter e Jasmine Westbrooks, dizem que a mudança para beber menos álcool é algo que eles viram com seus próprios clientes. “As pessoas não querem beber tanto quanto antes”, diz Carter ao Well and Good, acrescentando que esse é especialmente o caso, pois o COVID-19 fez mais pessoas pensarem em como as substâncias que colocam em seus corpos afetam sua saúde geral.

—5 bebidas não alcoólicas super refrescantes para melhorar a sua vida neste verão

À medida que as pessoas foram ficando cada vez mais conscientes dos efeitos negativos do álcool no corpo e na mente – o consumo pode causar insônia ou problemas para dormir profundamente, bem como aumento da ansiedade e depressão, fatores que foram importantes para muitos durante a pandemia – começaram a buscar bebidas zero álcool.

De acordo com a reportagem, a fundadora do Brooklyn Brewed Sorrel, Nzinga Knight, que faz mocktails à base de hibisco, está vendo interesse em seu produto não apenas de pessoas que se abstêm completamente de álcool, mas também de pessoas que querem beber menos álcool, mas adoram o sabor dos drinks.

Brooklyn Brewed Sorrel

Brooklyn Brewed Sorrel

A Boisson, que vende bebidas sem álcool em três lojas físicas na cidade de Nova York, viu em primeira mão como os consumidores estão sedentos por bebidas não-alcoólicas. A primeira filial abriu em fevereiro de 2021 e, nos primeiros dois meses, já percebeu que a demanda existia e era um negócio a ser expandido.

Uma das primeiras marcas de coquetéis não-alcoólicos a surgirem nos EUA foi a Curious Elixirs. Fundada em 2015 por John Wiseman, ela teve um crescimento de 428% desde o início da pandemia. Neste 2022, a marca deve lançar três novos produtos, todos com ervas relaxantes e adaptogênicas – que possuem substâncias capazes de aumentar a resistência do organismo.

Curious Elixirs

Curious Elixirs

As empresas norte-americanas de bebidas estão investindo também em mocktails enlatados como tendência do verão deste ano – que começa no final de junho no hemisfério norte. Além deles, existe já produção de vinho sem álcool, perfeito para happy hour de empresas, e também destilados com infusão de cânhamo. “Os clientes descrevem se sentir ‘flutuantes’, relaxados ou suaves” – sem a ressaca, conta Brandy Rand, COO da divisão americana da IWSR Drinks Market Analysis.

Em 2021, a própria Tanqueray lançou uma versão 0.0% de álcool para o gin Tanqueray London Dry, uma opção pensada em quem não quer abrir mão do sabor. A bebida está a venda somente no Reino Unido e Espanha por enquanto.

“Espera-se que as opções de bebidas alcoólicas sem álcool e de baixo consumo representem 23% do crescimento total de bebidas para adultos nos próximos três anos”, afirmou a Diageo, por meio de comunicado.

—Cientistas desenvolvem método para fazer cerveja sem álcool com o sabor da bebida ‘normal’

Mocktails nos bares brasileiros

Aqui no Brasil, diversos bares já adotaram a tendência, incluindo drinks não-alcoólicos em suas cartas. Se é uma busca crescente nos bares das cidades de Nova York e Londres, agora casas como Astor, SubAstor e SubAstor Bar do Cofre, acabam de ganhar uma seção exclusiva de mocktails.

Com jeito, aroma e textura de drinques convencionais, as quatro novas receitas assinadas por Alex Sepulcro e equipe podem ser pedidas a partir de março, nas três unidades do Astor, e de abril em todas as outras casas. Um coquetel alcoólico também entra para a lista de sugestões, mas apenas nos endereços do Astor.

Mistura herbal, frutada e refrescante, o Castaway combina coco, abacaxi, hortelã, gengibre e água Perrier limão. Mais cítrico, o Rosé Gloire une os sabores da água Perrier morango com um cordial da mesma fruta e limão siciliano. O Sicilia Tropicale leva shrub de uva verde, suco de maracujá, xarope de Elderflower e água Perrier. Já o Very Berry é feito com frutas vermelhas e limão siciliano. Fazem companhia os já tradicionais – e também sóbrios – Virgin Mary e Virgin Mojito.

O Quincho, casa especializada em pratos vegetarianos, oferece diferentes opções de drinques não alcoólicos. O bartender Danilo Madeira prepara coquetéis como o Cajueiro, que une a bebida de caju cajuína, xarope de violeta, flor de laranjeira e folhas de hortelã; além do Airela, que leva com romã, suco de cranberry e manjericão. O Pirajá, bar com alma carioca em São Paulo, apresenta o coquetel Alvorada Lá no Morro, uma homenagem ao samba de Cartola, com água tônica com lichia, amora e folhas de manjericão.

Já o Jazz Restô & Burgers, se especializou em drinques não alcoólicos, com carta 100% zero, passando por drinques, cervejas e vinhos. Entre os coquetéis, releituras de clássicos como mojito e caipirinhas, além de autorais como o Rouge, feito com morangos macerados, suco de morango, xaropes de romã e de cranberry.

Para quem é mais da cerveja, existem também boas opções no mercado. A Golden Ale sem álcool da Dádiva é um exemplar fiel ao estilo. Possui coloração clara dourada e, diferentemente da IPA, destaca em primeiro plano os aromas e sabores provenientes do malte – por isso, traz um leve, sutil e agradável adocicado, sendo secundários nessa cerveja – apesar de timidamente presentes – os traços do lúpulo.

Já a Doktor Brau, tem uma fruitbeer com frutas vermelhas sem álcool e low carb (com apenas 12 kcal, concentração de sais e com carga de proteína, que harmoniza perfeitamente com o pós-treino e dias quentes.

Publicidade

Fotos destaque: Getty Images

Fotos internas: Getty Images e divulgação


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Canais Especiais Hypeness