Reverb

Cidade Negra: Toni Garrido acusa ex-baterista da banda de agredi-lo com socos e roubar instrumentos

Redação Hypeness - 14/04/2022 às 11:51 | Atualizada em 14/04/2022 às 12:10

As músicas mais conhecidas da Cidade Negra são notórias por sua energia positiva, como ‘Onde Você Mora?’ e ‘Girassol’. Mas, por trás dos hits que somam milhões de plays nos streamings, há um grande conflito de ordem judicial e de convivência entre membros e ex-membros do grupo.

Em entrevista recente ao G1, Toni Garrido – frontman e vocalista dos principais hits do grupo – e o baixista Bino, único membro-fundador que segue no projeto, denunciaram o ex-baterista Lazão de agressão e roubo de instrumentos musicais.

Membros do Cidade Negra acusam ex-baterista de violência física e patrimonial

O conflito culminou na saída do baterista da banda em 2022. De acordo com Bino e Garrido, Lazão começou a ter conflitos físicos com outros membros – inclusive com agressões físicas, em meados de 2015. Tudo culminou no roubo de instrumentos musicais durante a pandemia, dizem Toni Garrido e Bino.

“Em 2014, 2015, começaram uma série de violências, o Lazão começou a ficar violento, dentro do próprio grupo, com a gente. Então, um dia ele me deu um soco no olho que rasgou meu olho e saiu sangue. Um dia ele deu um soco na cara do Bino. Ele foi fazendo milhões de coisas. A banda, equipe técnica acompanhando aquilo tudo… e me perguntando ‘Toni, você não vai fazer nada? Ele não pode fazer isso, ele tá louco, ele tá pirado”, relatou Toni Garrido ao G1.

Leia também: Charlie Brown Jr.: turnê comemorativa mela por briga na Justiça entre filho de Chorão e guitarristas

Posteriormente, durante a pandemia, Lazão vendeu os equipamentos da banda que foram deixados no seu estúdio pessoal.

“Lazão falou: ‘Entra aí’. E não tinha nenhum instrumento. Ele [Bino] perguntou: ‘Cadê os instrumentos, cara?’ A primeira desculpa foi que ‘sei lá, entra muita gente aqui’. ‘Insiste com ele, a gente precisa saber onde estão os instrumentos’. Uns dias depois: ‘o caseiro aqui da casa do lado, acho que esse cara roubou, levou, mas nem trabalha mais aqui’. Aí um dia, falando [pelo celular], eu tenho a gravação… e ele fala exatamente o seguinte: ‘os instrumentos do Toni? aquelas guitarras? Tudo podre, tudo estragado, aquelas merdas todas? Quer saber? Vendi, vendi tudo mesmo.'”, disse Toni.

Briga pela marca ‘Cidade Negra’

Ainda segundo a reportagem do G1, a banda Cidade Negra possui um conflito entre membros e ex-membros por conta da marca da banda. Garrido não é um fundador do grupo, mas é o dono da marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Lazão é pivô no conflito entre participantes do Cidade Negra

O conflito entre ex-membros (Ras Bernardo, Da Ghama e Lazão) e Bino e Toni se estende há alguns anos. Em 2018, os ex-membros formaram uma nova banda, o Originais da Cidade. O baterista seguiu tocando em ambos os grupos até que largou a companhia da Cidade Negra em 2022.

– Filho de Renato Russo depõe à polícia e operação apreende música inédita de ex-Legião Urbana 

Ras Bernardo e Da Ghama afirmam que o nome da banda e o direito de suas marcas deve estar sob o comando dos fundadores originais do grupo. O Cidade Negra foi fundado em 1986, mas Toni Garrido só entrou em 1994, quando o conjunto fez uma transição para o pop.

Antes da entrada de Garrido, a Cidade Negra era considerada uma das maiores bandas de reggae da América Latina e foi o primeiro grupo sul-americano a tocar no “Reggae Sunsplash”, o maior festival do gênero na Jamaica, em 1992.

Os advogados de Toni Garrido afirmam que desejam dar uma solução conjunta para o embate sobre a marca da banda para incluir os ex-membros do grupo na propriedade intelectual do nome Cidade Negra.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Youtube Foto 2: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness

Especiais