Ciência

EUA aprova projeto de lei para ampliar pesquisas sobre maconha medicinal

Vitor Paiva - 26/04/2022 às 09:15 | Atualizada em 28/04/2022 às 10:18

Aprovada recentemente pela Câmara dos Deputados dos EUA, a Lei de Pesquisa de Maconha Medicinal poderá representar um avanço fundamental na pesquisa com a substância no país, permitindo que cientistas acessem e utilizem em pesquisas a maconha oferecida em dispensários nos estados onde o uso da planta é legalizado. O projeto foi apresentado pelo deputado democrata Earl Blumenauer em outubro de 2021, e a votação aconteceu no dia 4 de abril, com aprovação na câmara após uma votação de 343 votos a favor e 75 votos contrários. O projeto de lei de Blumenauer contou com o apoio de 11 outros deputados, entre democratas e republicanos.

Lei de Pesquisa de Maconha Medicinal poderá facilitar o acesso de cientistas à planta para pesquisa nos EUA

A nova lei poderá facilitar o acesso de cientistas à planta para pesquisa nos EUA

-Uso de maconha medicinal é aprovado pela Anvisa

A ideia do projeto é facilitar o processo de pesquisa com maconha medicinal no país, que atualmente exige a aprovação de solicitação para o estudo com a cannabis, garantindo assim suprimento suficiente da planta para os cientistas – entre os apoiadores, por exemplo, estava o deputado republicano Andy Harris, que é notoriamente contrário à legalização da maconha, mas que defende a importância da ampliação da pesquisa científica para seu uso medicinal. Além do acesso facilitado à planta, o projeto também prevê que os cientistas possam utilizar flores e outros produtos armazenados em dispensários e oferecidos pelos locais especializados em pesquisas.

O deputado democrata Earl Blumenauer, autor do projeto

O deputado democrata Earl Blumenauer, autor do projeto

-Cannabis medicinal legal é defendida por 78% da população

“Atualmente, a variedade limitada de cultivares de cannabis acessíveis a pesquisadores licenciados pelo governo federal não representa o tipo ou a qualidade dos produtos de cannabis atualmente disponíveis em mercados legais em todo o estado”, afirmou Paul Armentano, vice-diretor da Organização Nacional para a Reforma das Leis da Maconha, em comunicado, avaliando como “necessárias” e “já atrasadas” as mudanças propostas pela lei. “A realidade de que quase metade dos adultos dos EUA têm acesso legal a essa infinidade de produtos de cannabis, mas os principais cientistas do nosso país não, é o cúmulo do absurdo e aponta os problemas do sistema atual”.

Exemplo de maconha medicinal oferecida em dispensários nos EUA

Exemplo de maconha medicinal oferecida em dispensários nos EUA

-Cannabis pode ser a chave para prevenir doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer

Atualmente, apesar de diversos estados terem aprovado o uso medicinal e recreativo da cannabis, a pesquisa com maconha nos EUA é limitada pelo fato do governo não ter legalizado a planta em nível federal. Assim, pesquisas enfrentam dificuldades severas, de acesso, financiamento e aprovação, para realização de pesquisas, dificultando, com isso, melhorias em tratamentos e políticas públicas para o uso medicinal da cannabis e seus derivados. Agora a Lei de Pesquisa de Maconha Medicinal deverá ser aprovada pelo Senado antes de ser enviada para o presidente Joe Biden – outras duas versões anteriores da lei foram aprovadas pela câmara mas rejeitadas no senado.

Cientista trabalhando com cannabis em laboratório

Cientista trabalhando com cannabis em laboratório para o desenvolvimento de medicamento

Publicidade

© fotos 1, 3: Getty Images

© fotos 2, 4: Wikimedia Commons


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness