Debate

Garimpo ilegal do ouro aumenta violência sexual, destrói meio ambiente e ameaça povos indígenas

Redação Hypeness - 19/04/2022 às 15:52

No dia 19 de abril, o Brasil celebra o Dia dos Povos Indígenas. A data – que busca valorizar e amplificar os povos nativos do nosso país – não é tão comemorável assim no ano de 2022.

Com o avanço do garimpo nas Terras Indígenas observado nos últimos anos, a vida e o espaço dessas populações tem sido frequentemente ameaçados com a conivência do estado brasileiro.

Exploração mineral criminosa é registrada em diversas terras indígenas; povos são as principais vítimas

Com a deflagração da invasão da Ucrânia pela Rússia e com efeitos da pandemia de coronavírus, o preço do ouro chegou à sua máxima histórica. Com isso, a demanda pelo metal precioso aumentou e as vítimas são os povos indígenas.

O tráfico de ouro e sua extração das terras indígenas tem como destino final o mercado internacional. “Quando um empresário vai para a pista ou manda alguém lá no garimpo, ele já compra o ouro e dá o destino dele. Mas quando são os garimpeiros que vêm para a cidade, primeiro eles vendem para os empresários locais, que depois vendem para fora”, explica um ourives anônimo para a Repórter Brasil.

– Meninas ianomâmi relatam abuso sexual de garimpeiros em troca de comida e MP cobra ação do governo

Um relatório recente da Hutukara Associação Yanomami mostrou que o garimpo aumentou 46% em relação a 2021 e, desde 2016, cresceu 3000%.

Para conseguir o ouro, os garimpeiros invadem as TIs da forma mais brutal possível: são relatados casos de tráfico de pessoas, violência sexual e chantagem em troca de alimentos. Lá hospedados, eles destroem o solo do local para extrair as pedras, que irão cair na mão dos estrangeiros.

– Índios isolados assassinados por garimpeiros: entenda riscos à Terra Yanomami

“Após os Yanomami solicitarem comida, os garimpeiros rebatem sempre. (…) ‘Vocês não peçam nossa comida à toa! É evidente que você não trouxe sua filha! Somente depois de deitar com tua filha eu irei te dar comida!’. ‘Se você tiver uma filha e a der para mim, eu vou fazer aterrizar uma grande quantidade de comida que você irá comer! Você se alimentará!’. Os [garimpeiros] dizem: ‘Essa moça aqui. Essa tua filha que está aqui, é muito bonita!’. Então, os Yanomami respondem: ‘É minha filha!’. Quando falam assim, os garimpeiros apalpam as moças. Somente depois de apalpar é que dão um pouco de comida”, diz o relatório.

Vítimas de violência sexual e destruição: povos indígenas são pressionados por garimpeiros e mercado internacional de ouro

Além disso, vale lembrar que depois da imposição das sanções anti-Rússia, o governo Bolsonaro aproveitou para passar a boiada e colocou em pauta um projeto de lei que visa autorização de mineradoras e garimpeiros em Terras Indígenas.

O Projeto de Lei 191/2020 oferece aos indígenas a possibilidade de participar nos lucros das atividades exploratórias – como garimpo e mineração – e define a criação de um conselho para regular as atividades de mineração em territórios indígenas (TIs) com a participação do povos originários.

O PL tinha sido aprovado em regime de urgência, mas perdeu fôlego na base bolsonarista após grandes manifestações em Brasília que lutavam contra a aprovação da nova lei.

 

Publicidade

Fotos: Destaques e Foto 1: Creative Commons Foto 2: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Canais Especiais Hypeness