Fotografia

Jardim Botânico do Rio é o terceiro mais “instagramável” do mundo, segundo pesquisa

Vitor Paiva - 20/04/2022 às 09:23 | Atualizada em 25/04/2022 às 08:30

Na lista dos Jardins Botânicos mais marcados em hashtags no Instagram, o terceiro colocado fica no Brasil – mais precisamente, no Rio de Janeiro, no coração do bairro que justamente o parque batiza.

Funcionando como ponto turístico e ao mesmo tempo um verdadeiro laboratório natural a céu aberto, tendo sido marcado 233.477 vezes em postagens na rede social, o Jardim Botânico do Rio é, portanto, o terceiro mais “instagramável” do mundo: o levantamento foi realizado pela plataforma OnBuy Greenhouses, e-commerce de produtos de jardinagem, e basicamente apontou os parques do tipo mais citados em posts de todo o mundo. O primeiro lugar da lista ficou com o Kew Gardens, em Londres, citado em 744.491 hashtags.

As famosas palmeiras-imperiais do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

As famosas palmeiras-imperiais do Jardim Botânico do Rio de Janeiro

O orquidário do parque carioca é também um ponto de visitação querido pelo público

O orquidário do parque carioca é também um ponto de visitação querido pelo público

-Conheça o hotel pensado para ser o mais ‘instagramável’ do mundo

“Jardins botânicos são conhecidos por suas paisagens esteticamente agradáveis e por oferecerem uma pletora de plantas para serem admiradas”, diz o texto da pesquisa, na plataforma.

“Kew é a casa da planta mais antiga do mundo, a cica, que existe desde 1775. Além disso, possui mais de 50 mil plantas em sua coleção viva, e cerca de 7 milhões de espécies preservadas. Muitos animais exóticos também residem no Kew Gardens, como pavões, texugos europeus selvagens e, em um momento, até mesmo cangurus!”, diz a apresentação. Em segundo lugar na lista ficou o Jardim Botânico de Longwood, nos EUA, com 288.975 menções.

A Palm House no Kew Gardens, um dos locais mais famosos do jardim botânico inglês

A Palm House no Kew Gardens, um dos locais mais famosos do jardim botânico inglês

-Singapura investe mais de U$ 1 bi para construir jardim botânico em aeroporto

O Kew Gardens foi fundado em 1759 pela Princesa Augusta e o Rei George III, mas só foi aberto ao público em 1840: desde 2003 o local é reconhecido como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Abaixo do Jardim Botânico carioca, a lista de parques “instagramáveis” se completa com o Jardim Majorelle, em Marrakech, no Marrocos, ocupando a quarta colocação, com 227.104 menções; em seguida o Jardim Botânico do Brooklyn, em Nova York, com 105.201 hashtags; na sexta colocação, o Jardim Botânico de Chicago, nos EUA, com 93.129 posts, depois o Jardim Botânico do Deserto, em Phoenix, também nos EUA, com 80.956, o Royal Botanical Gardens, em Sydney, na Austrália, no oitavo lugar, com 65.904 – e a lista se conclui, na nona colocação, com Jardim Botânico de Nova York mencionado em 61.600 hashtags, e o do Missouri, em St. Louis, nos EUA, marcado 41.540 vezes no Instagram.

Vitórias-régias em um dos lagos do Jardim Botânico carioca

Vitórias-régias em um dos lagos do Jardim Botânico carioca

Um jardim japonês no parque, localizado no coração da zona sul do Rio

Um jardim japonês no parque, localizado no coração da zona sul do Rio

-Milkshakes instagramáveis estão sumindo dos cardápios por danos à saúde

O Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi fundado em 1808 por Dom João VI, e abriga mais de 6,5 mil espécies espalhadas por 54 hectares, tanto ao ar livre quanto em estufas, e uma coleção viva com mais de 22 mil espécies – além de uma paisagem natural estonteante, com o parque rodeado por suas imensas e icônicas palmeiras-imperiais.

As centenas de milhares de visitantes que anualmente o Jardim Botânico recebe buscam a importância científica da vasta coleção de plantas, mas também os monumentos históricos, edifícios, obras de arte – além dos mais incríveis cenários para passear e tirar a foto perfeita para ser imediatamente postada no Instagram.

O belo bromeliário do Jardim Botânico do Rio

O belo bromeliário do Jardim Botânico do Rio

As icônicas e centenárias palmeiras vistas de cima

As icônicas e centenárias palmeiras vistas de cima

Publicidade

© fotos 1, 2, 3, 4, 5, 6: Wikimedia Commons

© foto 7: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness