Ciência

Maconha: planta pode melhorar experiência sexual com aumento de libido e orgasmos; entenda

Gabriela Rassy - 26/04/2022 às 09:13

A maconha pode ser benéfica para acompanhar o tratamento de inúmeras doenças, mas seu uso em remédios também pode ajudar na experiência sexual. Uma pesquisa publicada nos Estados Unidos sugere que a dose certa e a forma de uso de cannabis podem fazer uma diferença positiva no sexo, aumentando a intensidade de orgasmos principalmente nas mulheres.

Recentemente, a Câmara dos Deputados dos EUA deu um passo além e aprovou um projeto de descriminalização da maconha em nível federal. A cannabis, roga mais comumente usada e ilegal em nível federal, atualmente é permitida para uso médico em 37 estados e em 18 estados para uso recreativo adulto no país.

Maconha: planta pode melhorar experiência sexual com aumento de libido e orgasmos; entenda

Maconha: planta pode melhorar experiência sexual com aumento de libido e orgasmos; entenda

Para saber mais sobre cannabis e sexo, a jornalista Christina Caron, do The New York Times, entrevistou diversos especialistas para chegar à conclusão: é difícil dizer com certeza que a cannabis aumentará o desejo ou melhorará sua vida sexual, mas evidências anedóticas sugerem que a dose certa de cannabis pode tornar os orgasmos de uma mulher mais satisfatórios e aumentar a libido.

—Usuários de maconha fazem sexo com mais frequência, aponta estudo

Isso acontece em parte porque a cannabis pode melhorar os sentidos e também aliviar alguns dos sintomas que inibem o desejo, como ansiedade, insônia ou dor. Também pode ter efeitos positivos para os homens, mas também vários negativos.

Tanto homens quanto mulheres relatam há muito tempo que a cannabis altera sua experiência sexual. No ensaio publicado em 1971, o astrônomo Carl Sagan, um usuário de maconha de longa data, escreveu que a cannabis “aumenta o prazer do sexo” e “dá uma sensibilidade requintada”. Mas ainda há muito pouca pesquisa sobre cannabis e libido.

Com base nas evidências, a erva parece melhorar a experiência sexual entre muitas mulheres que já a usam. Becky K Lynn, especialista em medicina sexual e menopausa e fundadora da Evora Women’s Health em St Louis, relata que já teve vários pacientes que vieram até ela procurando soluções para a baixa libido e que afirmam sentir uma melhora com a maconha.

Lynn, que também leciona na Escola de Medicina da Universidade de Saint Louis, é a principal autora de um estudo publicado em 2019 que pesquisou o efeito da cannabis com 373 mulheres. Dessas, 34% relataram ter usado maconha antes da atividade sexual e a maioria disse que resultou em aumento do desejo sexual, melhora do orgasmo e diminuição da dor.

Estudos também descobriram que algumas mulheres usam cannabis para ajudar a controlar os sintomas da menopausa, como ondas de calor, suores noturnos, insônia e alterações vaginais, como secura, que podem contribuir para diminuir a libido quando não tratadas.

Além disso, uma pesquisa online com mais de 200 mulheres e homens que usam cannabis descobriu que quase 60% sentiram que a cannabis aumentou seu desejo por sexo; quase 74% relataram aumento da satisfação sexual. Mas o estudo, conduzido por pesquisadores no Canadá e publicado no The Journal of Sexual Medicine, também disse que 16% relataram que o sexo era melhor em alguns aspectos e pior em outros, e um pouco menos de 5% disseram que era pior.

A pesquisa sobre o uso de cannabis e a função sexual entre os homens também é escassa e pode ser contraditória, então a sugestão é começar devagar a provar e sentir o que cai melhor para cada corpo. Afinal, todas as drogas têm efeitos colaterais potenciais, incluindo a cannabis.

Peter Grinspoon, médico de cuidados primários do Massachusetts General Hospital Chelsea HealthCare Center e consultor de cannabis medicinal, aconselhou a ingestão de uma pequena quantidade, se o paciente não estiver acostumado – em alguns casos, usando apenas 1 miligrama de THC , o principal ingrediente psicoativo da erva. Ele afirma que “em baixas doses, a cannabis ajuda a libido, mas em altas doses, muitas vezes não é tão eficaz”. Lynn concorda.

Quanto é maconha demais?

Isso vai variar de pessoa para pessoa. Como a cannabis é conhecida por prejudicar a coordenação e o tempo de reação, aqueles que usam drogas psicoativas antes ou durante o sexo “devem levar em consideração se as pessoas que usam o produto e seus parceiros podem ter sexo seguro e consensual”, disse Stacy Tessler Lindau, ginecologista da Universidade de Medicina de Chicago e criadora do WomanLab, um site sobre saúde sexual.

O Dr. Jordan Tishler, presidente da Association of Cannabinoid Specialists, recomendou experimentar cannabis sozinho nas primeiras vezes e masturbar-se, para entender quais as reações e sensações do corpo.

Lynn normalmente recomenda extratos concentrados de cannabis, que são tomados por via oral. Assim fica mais fácil medir o número de miligramas que você deseja usar.

Tishler geralmente aconselha seus pacientes a começarem com 5 mg de THC. Dar uma tragada em um vaporizador de flores de cannabis antes de ter uma experiência sexual pode funcionar mais rápido e de forma mais previsível do que comestíveis ou lubrificantes infundidos com THC, disse ele.

–O sucesso do novo brinquedo sexual que reflete o autoconhecimento feminino

Publicidade

fotos: getty images


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Canais Especiais Hypeness