Ciência

Petosemtamab: cientistas descobrem anticorpo capaz de frear o avanço e o desenvolvimento do câncer

Vitor Paiva - 28/04/2022 às 10:12

Um novo estudo realizado por cientistas do Instituto de Investigação em Biomedicina de Barcelona (IRB) descobriu um anticorpo capaz de combater as células cancerígenas que causam a metástase, sem danificar as células saudáveis. Segundo a pesquisa, publicada na na revista científica Nature Cancer, o anticorpo Petosemtamab (ou MCLA-158) não somente impede que o câncer se espalhe, como também retarda o desenvolvimento dos tumores. A descoberta foi encabeçada pela empresa holandesa de biotecnologia Merus junto aos pesquisadores do IRB do Centro de Pesquisa Biomédica da Rede do Câncer (CIBERONC).

Representação artística de células cancerígenas no corpo humano

Representação artística de células cancerígenas no corpo humano

-Brasileira está entre os cientistas que conseguiram desenvolver anticorpos para o HIV

Liderado pelo Dr. Eduard Batlle, diretor do Laboratório de Câncer Coloretal no IRB, o estudo trabalhou com camundongos e ainda se encontra em fase inicial, utilizando organóides, amostras biológicas de pacientes tratando cânceres, e abrindo assim possibilidades relevantes para o desenvolvimento de novos medicamentos contra a doença. De acordo com a pesquisa, além de impedir que a doença se espalhe para outros órgãos, três dos sete casos apresentaram remissão parcial do tumor, com um deles alcançando remissão completa: a redução simples do tamanho do tumor foi apresentada em todos os casos.

Representação do anticorpo Petosemtamab (MCLA-158)

Representação do anticorpo Petosemtamab (MCLA-158)

-Como a cura do câncer de um homem com covid-19 faz justiça a um médico do século 19

“Começamos a estudar células cancerígenas há 15 anos, e é altamente satisfatório ver que nossa descoberta está ajudando pacientes” afirmou Batlle, a respeito do valor da descoberta. “A jornada até esse ponto foi animador mas também altamente complexa, exigindo um grande investimento de recursos, assim como uma quantidade imensa de trabalho por muitos pesquisadores”, disse o diretor do projeto. “Esperamos que as atividades de combate ao tumor mostradas nas informações preliminares sejam confirmadas”, concluiu.

O Dr. Eduard Batlle, diretor do Laboratório de Câncer Coloretal no IRB, e líder da pesquisa

O Dr. Eduard Batlle, diretor do Laboratório de Câncer Coloretal no IRB, e líder da pesquisa

-Tratamento para câncer vem provocando visão noturna como efeito colateral

Para encontrar o MCLA-158, a pesquisa do IRB e da Merus aplicou diferentes anticorpos sobre as amostras de organóides, a fim de registrar cada reação da doença – o Petosemtamab atacou as células cancerígenas, bloqueando o processo de metástase sem causar qualquer dano às células saudáveis, oferecendo as bases para um inédito e potencialmente revolucionário método de tratamento. Segundo Batlle, novas informações serão publicadas nos próximos meses, a partir de testes clínicos realizados com o anticorpo. “A medicina do futuro começa aqui”, concluiu o médico.

Sede do Instituto de Investigação em Biomedicina de Barcelona (IRB)

Sede do Instituto de Investigação em Biomedicina de Barcelona (IRB)

Publicidade

© foto 1: Getty Images

© fotos 2, 3, 4: IRB/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness