Reverb

Phil Collins se despede dos palcos após marcar época com o Genesis e em carreira solo

Vitor Paiva - 06/04/2022 às 10:20

O músico inglês Phil Collins anunciou que o show que realizou com o Genesis no último dia 26 de março, na 02 Arena, em Londres, foi o último de sua carreira. O anúncio foi feito ainda no palco, durante o show de encerramento da atual turnê da lendária banda formada nos anos 1970, “The Last Domino?”, em evento que também contou com a presença de Peter Gabriel, ex-vocalista do grupo. “Este é o último dia da turnê e o último show do Genesis. Estou emocionado porque vocês ainda vieram nos assistir”, afirmou o cantor, compositor e baterista de 71 anos, que se despediu do público brincando que agora teriam de arrumar “empregos de verdade”.

Phil Collins despedindo-se do público no último show de sua incrível carreira, em Londres

Phil Collins despedindo-se do público no último show de sua incrível carreira, em Londres

Mike Rutherford, Phil Collins e Tony Banks: show recente do Genesis durante a última turnê

Mike Rutherford, Phil Collins e Tony Banks: show anterior do Genesis durante a última turnê

-O baterista que perdeu um braço mas encontrou uma forma de continuar tocando

Um dos mais bem-sucedidos artistas da música pop internacional em todos os tempos, Collins vem enfrentando problemas de saúde nos últimos anos,  que o impedem de se apresentar: após uma série de cirurgias na coluna, o músico revelou que não consegue mais sequer segurar uma baqueta. Na última turnê do Genesis, seu filho Nicholas, de 20 anos, assumiu a bateria para que o pai pudesse somente cantar, e na recente apresentação final em Londres, Collins realizou o show sentado em uma cadeira. “Hoje marca o fim de uma era. Ter testemunhado este último show foi realmente a memória de uma vida e um evento que guardarei em meu coração para sempre. Estou infinitamente grata”, escreveu a atriz Lily Collins, filha do artista, em seu perfil no Instagram.

-Músicas dos anos 1970: uma playlist com grandes sucessos da década

Phil Collins juntou-se ao Genesis em 1970, após encontrar um anúncio no jornal de música inglês Melody Maker informando  que a banda procurava um baterista. Após Peter Gabriel deixar a banda para seguir em carreira solo, em 1975, o grupo seguiu na celebrada formação com Phil Collins na bateria e nos vocais, Tony Banks nos teclados e vocais e Mike Rutherford no baixo, guitarra e vocais. Com vendas estimadas entre 100 e 150 milhões de discos ao longo de toda a carreira, o Genesis é um dos grupos de maior sucesso comercial na história da música popular, e considerado pioneiro para o surgimento do rock progressivo e, depois, para o encontro do progressivo com variantes mais próximas do pop. Em seu último show, a banda apresentou 24 músicas, incluindo clássicos como “Mama”, “Home by the Sea”, “Domino”, “Land of Confusion”, “No Son of Mine”, “Invisible Touch” e mais.

Durante a última turnê, as dores obrigaram Collins a deixar as baquetas e assumir somente os vocais

Durante a última turnê, as dores obrigaram Collins a deixar as baquetas e ficar somente nos vocais

-Estas fotos de artistas nos anos 1980 vão te levar para uma viagem no tempo

A carreira solo de Phil Collins começou em 1981, para se tornar também uma das mais bem-sucedidas de todos os tempos: um dos campeões de vendas no mundo durante a década de 1980 e 1990, o baterista e compositor alcançaria uma rara coleção de sucessos, como “in The Air Tonight”, “Against All Odds (Take a Look at Me Now)”, “Another Day in Paradise”, “One More Night”, “Easy Lover” e “Sussudio”, entre muitos outros. No período, Phil Collins se tornou um dos únicos três artistas na história a ter vendido mais de 100 milhões de discos tanto em carreira solo quanto como membro de uma banda – ao lado somente de Michael Jackson, que alcançou o marco sozinho e com os irmãos no Jackson Five, e de Paul McCartney, que também realizou tal feito solo e com os Beatles.

Phil Collins na bateria e voz do Genesis, em 1977

Phil Collins na bateria e voz do Genesis, em 1977

Phil Collins

O músico, em show dos anos 1990, é um dos mais bem-sucedidos da história da música

Publicidade

© foto 1: YouTube/reprodução

© fotos 2, 3, 4: Getty Images

© foto 5: Wikimedia Commons


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness

Especiais